Motociclistas começam a chegar à cidade

Expectativa da organização é de que 25 mil pessoas passem pelo pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof

Motociclistas começam a chegar à cidade

Expectativa da organização é de que 25 mil pessoas passem pelo pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof

Às 10h de ontem, o gaúcho Joe Pieta chegou ao Pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof em sua Shadow 750 cilindradas, ano 2014. Ele foi o primeiro a pisar no espaço que receberá até domingo mais de 25 mil pessoas para o Brusque Motorcycle – Encontro Sul-Americano de Motociclistas.

A história de Joe com as motos é antiga. Hoje com 53 anos de idade, ele conta que seu primeiro contato com o veículo de duas rodas foi ainda na infância, quando tinha nove anos de idade. Desde então, a paixão pela moto tomou conta. Teve várias marcas e modelos, até chega à Shadow, “confiável e não quebra”, ressalta o tarimbado motociclista.

Joe é natural de Garibaldi, na Serra gaúcha, onde é proprietário de um bar, e vem regularmente há pelo menos 20 anos para Brusque. “Meu melhor amigo mora em Brusque”, justifica. Para manter os laços, ele vem de vez em quando para a cidade, onde passou alguns momentos memoráveis, pelo lado bom e pelo ruim. Enquanto houve encontros memoráveis nas praças brusquenses, em 2008, ficou preso no município por 15 dias, por causa da enchente que assolou todo o Médio Vale do Itajaí.

Mas, voltando, à paixão de Joe pelas motos, desde a primeira edição do Brusque Motorcycle ele faz tentativas de vir participar do evento que crescer a cada ano. “Na primeira vez, a moto pegou fogo no caminho. Lá vai eu voltar de guincho para casa”, conta o bem-humorado motociclista. Obstinado, ele fez o caminho outras vezes, porém, sempre havia um obstáculo. Em algumas ocasiões, a moto quebrou ou teve problemas. Ou seja, quis o destino que o gaúcho pudesse alcançar o seu objetivo somente nesta edição. “Uma vez eu vim de carro, mas não conta. Esta é a primeira vez”.

Joe saiu de Garibaldi ainda na quarta-feira, 13, e percorreu 665 km até Brusque. Na primeira etapa da viagem, ele foi até Balneário Camboriú em sete horas e meia de viagem, onde dormiu por uma noite. E acordou cedo ontem para vir a Brusque. Chegou mais de oito horas antes da abertura e aproveitou para andar pela cidade.

Jackson Jasper, um dos organizadores do evento, afirma que é comum receber pessoas de longe. No ano passado, vieram motociclistas da Argentina, Uruguai, Paraguai e até mesmo do Equador. “Ele veio pilotando desde o Equador”, conta Jasper. Em 2014, de acordo com a organização, 20 mil pessoas passaram pelo pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof. Para este ano, a expectativa de Jasper é que haja aumento de 25%,ou seja, público de 25 mil.

A referência para este cálculo é a taxa de reservas na rede hoteleira de Brusque. Segundo o organizador, há participantes hospedados, inclusive, em Gaspar e Itajaí, devido à limitação do número de leitos disponíveis no município. “Também tem gente vindo em grupos maiores e alugando casas”, afirma. Embora o Brusque Motorcycle tenha iniciado ontem, a organização espera que a maioria dos motociclistas cheguem hoje.
Manobras e shows

Jasper diz que a programação musical do Brusque Motorcycle é um dos maiores chamarizes para os participantes, além dos shows de manobras. A primeira atração musical poderá ser conferida hoje à noite. Às 21h30 tem o show do Guns N’ Roses Cover, feito pela banda Sex Overdrive, e em seguida já tem a o U2 Cover, do grupo curitibano Cwb.

No sábado, haverá vários shows de rock, com destaque para a programação a partir das 21 horas. A PinkPop Band fará o cover do Pearl Jam, a o Alta Voltagem, de Brusque, irá tocar os sucessos do AC/DC.

“O ponto alto é o Desafio de Freestyle (às 22h10), no sábado, com participação dos pilotos mais consagrados, incluindo o Jorge Negretti”, afirma Jackson Jasper. Negretti é um dos pilotos mais famosos do Brasil e um dos poucos a fazer a manobra backflip.
Exposição

Como já é tradicional no Brusque Motorcycle, na parte interna do pavilhão ocorrerá a exposição de motos e equipamentos de várias marcas. Nesta edição a novidade é a vinda da marca MV Augusta, de motos de alta performance que, inclusive, desenvolve os seus motores em parceira com a Ferrari. Além dela, estão confirmadas a Honda, BMW, Yamaha, Kawasaki e a Triumph. “Vamos ter os últimos lançamentos de motos e equipamentos”, afirma Jasper.

Segundo a estimativa do organizador, no ano passado foram negociados R$ 2 milhões em equipamentos e motos. “Para este ano, deve subir para uns R$ 2,5 milhões”, diz o organizador do evento. Haverá desde motos mais baratas até as mais sofisticadas, que podem custar bem mais do que um carro.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio