Nene Colombi, prefeito de Botuverá, fala sobre os desafios à frente da presidência da Ammvi

"Vamos brigar para que a gente seja ouvido", afirma Nene

Nene Colombi, prefeito de Botuverá, fala sobre os desafios à frente da presidência da Ammvi

"Vamos brigar para que a gente seja ouvido", afirma Nene

O prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, o Nene, foi recentemente empossado como presidente da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi), cargo no qual permanecerá por um ano.

Nene assume a direção da associação em um dos períodos mais difíceis da história, com redução de arrecadação e atrasos nos repasses dos governos estadual e federal. Seu objetivo, segundo ele, é lutar pela representatividade da associação junto a esses entes federativos.

“Como estamos em um conturbado momento político, administrativo e financeiro, vamos tentar dar um apoio aos nossos 14 municípios em todas as áreas”, disse o prefeito de Botuverá, que foi eleito por aclamação, em assembleia realizada no começo do mês.

Ele afirma que irá tocar vários projetos neste ano de mandato à frente da associação. Um deles busca melhoria no financiamento da saúde dos municípios, que depende em grande parte de repasses externos.

Nene também pretende acompanhar a preparação dos municípios para cumprir exigências em saneamento básico, que estão sendo solicitadas pelo Ministério Público: os municípios terão que se preparar para captar recursos para execução de sistemas de coleta e tratamento de esgoto sanitário.

Também em parceria com o Ministério Público, informou o prefeito de Botuverá, a Ammvi desenvolverá estudo socioambiental para os 14 municípios que dela fazem parte.

O objetivo é regulamentar a legislação para permitir construções a apenas 15 metros de áreas de preservação permanente (APPs), desde que em locais em que já exista infraestrutura. Esse tema hoje é alvo de questionamentos judiciais e as prefeituras ainda têm dúvidas sobre o que pode e o que não pode ser autorizado.

Arrecadação

Entre as ações, Nene quer apoiar os municípios para que melhorem a arrecadação, a qual vem em queda nos últimos anos, sobretudo no ISS, o Imposto Sobre Serviços.

O prefeito também destaca a necessidade de brigar para que projetos regionais saiam do papel. Citou como exemplo a duplicação da BR-470, que anda a passos de cágado.

“Temos que brigar para que a 470 não pare. São 750 mil habitantes nas cidades da Ammvi, temos representatividade e vamos brigar para que a gente seja ouvido”, afirma Nene.

Ele também informou que, na semana passada, reuniu-se com uma comitiva alemã que assinou um termo de compromisso de parceria com a associação de municípios, sobretudo na área ambiental e de turismo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio