Obras do Parque das Esculturas são restauradas por artistas pláticos

Restauração promete fazer do parque brusquense referência internacional

Obras do Parque das Esculturas são restauradas por artistas pláticos

Restauração promete fazer do parque brusquense referência internacional

Em poucos meses, o acervo de 40 obras de importantes artistas do mundo vai se transformar oficialmente no Parque das Esculturas. O espaço está sendo construído pela Prefeitura de Brusque e promete se tornar uma das principais atrações artísticas e culturais não apenas de Santa Catarina, mas de todo o Brasil.

As obras no local ganharam um novo fôlego nas últimas semanas com o trabalho de recuperação e restauração das peças que irão compor o parque. “O trabalho de curadoria das obras iniciou em 2009, e agora, de fato, o trabalho se concentra na restauração das peças. Algumas delas estão em exposição ao ar livre desde 2002 e acabaram sofrendo abalos. Todo o detalhamento das obras está sendo feito para o restauro completo das peças”, destaca o secretário de Comunicação de Brusque, Didi Maçaneiro.

O trabalho de limpeza e restauração das obras está sendo feito em conjunto pelos artistas Pita Camargo e Lilian Martins. Fazem parte do acervo do parque obras de artistas como Oscar Niemeyer, Amilcar de Castro, Francisco Brennand, Juarez Machado, Xico Stockinger e Tomie Ohtake. “Será o maior acervo de obra de arte de mármore ao ar livre da América Latina”, afirma Maçaneiro.

>> Veja como é feita a restauração da obra de Oscar Niemeyer

Obra única

A principal obra do Parque das Esculturas é desenhada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Intitulada “Tortura nunca mais”, faz alusão ao período da ditadura vivido no Brasil. O trabalho de restauração de uma das três únicas esculturas projetadas pelo arquiteto iniciou na quarta-feira, 26. O responsável por recuperar a peça é o escultor gaúcho Jorge Schröder.

“Ele é um ícone universal, um arquiteto conhecido no mundo inteiro e deixou esse legado em Brusque. Para um escultor poder realizar uma obra deste porte é algo muito satisfatório”, afirma.
As obras

As obras presentes no Parque das Esculturas são herança do Simpósio Internacional de Esculturas, realizado em Brusque de 2001 a 2007. Por 30 dias, a cidade reunia escultores consagrados de todo o mundo que transformavam o Kartódromo Municipal e um grande ateliê a céu aberto. Todas as obras criadas durante o evento se tornaram Patrimônio de Brusque. Nas sete edições do Simpósio foram confeccionadas 106 peças. Dessas, 40 farão parte do acervo do parque e as outras 66 peças integrarão a Rota 66 – diversas áreas da cidade que abrigarão os trabalhos artísticos, formando uma rota cultural no município.

Infraestrutura

Além da recuperação das esculturas, o trabalho no local se concentra na melhoria da infraestrutura. Com a conclusão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Macrodrenagem no ano passado, foi possível retomar as obras no local.

De acordo com ele, a iluminação do parque será um dos diferenciais. “Cada peça terá iluminação própria em LED para valorizar. Será um show a parte”, declara. O projeto prevê ainda um espelho d’água para valorizar ainda mais a obra de Niemeyer, a principal do parque.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio