Paróquia São Luís Gonzaga celebra cinco anos da Missa com Jovens

Música, encenações e dinâmicas fazem parte da celebração que será realizada nesta quinta-feira, 26

Paróquia São Luís Gonzaga celebra cinco anos da Missa com Jovens

Música, encenações e dinâmicas fazem parte da celebração que será realizada nesta quinta-feira, 26

A Paróquia São Luís Gonzaga, por meio do Conselho Paroquial da Juventude (CPJ), realiza nesta quinta-feira, 26, às 22h30, na Igreja Matriz, uma celebração especial para comemorar os cinco anos da Missa com Jovens, que terá como tema: “Eu te levantarei, meu filho(a) amado(a)”.

A primeira Missa com Jovens foi realizada em abril de 2013, quando a paróquia se preparava para a Jornada Mundial da Juventude que aconteceria três meses depois, com a visita do papa Francisco ao Brasil. “A partir de então, começamos a pensar em algo que aproximasse a igreja da juventude, e foi nesse momento que surgiu a ideia de fazer uma missa, em um horário diferente, não tão habitual, para tentar mobilizar mais jovens”, explica o pároco, padre Magnos José Baron Caneppele.

Contato com Deus
Com a iniciativa, a Igreja Matriz ficou repleta não só de jovens, mas de outras pessoas que queriam participar do momento. Com o passar dos meses, a missa foi sendo adaptada. “Lembro-me que, na primeira missa, nosso principal público era formado por jovens de movimentos como Acampamento e Emaús, e também grupos da Renovação Carismática. Com o passar do tempo, a celebração foi atraindo jovens que não eram ligados a movimentos e pastorais, mas que tinham uma sede muito grande de Deus.  Vemos que muitos pais e até crianças frequentam a missa, assim como jovens de outras religiões que vêm rezar e encontrar com o Senhor”, diz o pároco.

A Missa Jovem é celebrada de maneira diferente. As músicas são mais animadas, tem encenações e dinâmicas lúdicas para atrair e prender a atenção, com um linguajar que se aproxima da realidade dos jovens. “É uma grande alegria poder celebrar os cinco anos da Missa com Jovens, mas também é uma grande responsabilidade. Temos muitos desafios com esta missa, queremos avançar e chegar até onde a igreja tem uma certa dificuldade de chegar. Queremos chegar na universidade, na escola e também naqueles jovens que estão afastados da igreja”, destaca padre Magnos.

O exemplo da Paróquia São Luís Gonzaga inspirou a realização de celebrações com jovens também em outras paróquias, como em Botuverá, Guabiruba, Santa Terezinha, Águas Claras e Dom Joaquim. Hoje o modelo da missa que teve início em Brusque já ultrapassou os limites do estado e é celebrada em Pato Branco, no Paraná, onde acontece mensalmente, no mesmo dia e horário daqui.

Fé e amizade
Sabrina Pereira e João Guilherme, de 24 e 25 anos, participam desde 2014 da Missa com Jovens e garantem que é gratificante. “Nós vamos à missa frequentemente, mas gostamos de ir à Missa com Jovens, pois é um momento onde reencontramos nossos amigos de fé e temos a oportunidade de rezarmos todos juntos, relembrar momentos vividos e estarmos com nossa fé e amizade cada vez mais fortalecidas”.

A programação desenvolvida durante a missa encanta e emociona o casal de namorados, por conta das dinâmicas que são apresentadas em forma de teatros e encenações referentes ao tema da missa. Mas é o momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento que mexe com o coração de Sabrina e João. Para eles, é importante que os jovens participem da missa, pois é uma forma de estar em comunidade. “É um momento para poder crescer espiritualmente e escutar o que Deus tem para dizer. Muitos chamados podem surgir e rezamos por isso, pois a Igreja precisa dos jovens”, salienta o casal.

Este é o quarto ano que Karina Bonomini Kamers Groh e seu esposo Luiz Paulo Groh, 29 e 30 anos, moradores do bairro Souza Cruz, participam da Missa com Jovens. Segundo eles, mais do que um momento de reflexão, é uma noite voltada à restauração da fé. “É um período especial, de intimidade com Deus. Nos proporciona rever amigos e fazer novas amizades. Todas as etapas da missa são especiais e importantes, mas há algumas que se destacam e tocam mais as pessoas, como por exemplo: momentos de perdão, encenações e as adorações ao Santíssimo. É importante participar, pois a parte espiritual é tão importante quanto o cuidado com a saúde física do ser humano”, considera o casal.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio