Participante do Big Brother Brasil 2018 é neta de brusquenses

Mãe de Jéssica Mueller lembra com carinho a relação da família com Brusque

Participante do Big Brother Brasil 2018 é neta de brusquenses

Mãe de Jéssica Mueller lembra com carinho a relação da família com Brusque

A TV Globo anunciou nesta quinta-feira, 18, os participantes do Big Brother Brasil 18, que estreia nesta segunda-feira, 22.

Uma das escolhidas, Jéssica Mueller, 26 anos, tem relação direta com Brusque: ela é neta dos brusquenses Valério Heckert (do Santa Terezinha) e Carmem Paza Heckert (do Poço Fundo). Hoje, ambos moram em Blumenau. Carmem, por sua vez, é filha do já falecido João Paza.

Jéssica, assim como sua mãe Tania Regina Heckert, nasceu em Blumenau. Hoje, as duas vivem em Florianópolis.

“Nossa ligação com Brusque é muito forte pois temos nossos parentes que moram na cidade e fazemos sempre um encontro com as primas. Não perdermos nossa história”, conta Tania.

Ela diz que Jéssica não teve muito contato com a cidade dos avós, mas tem muito carinho pelas primas. “São todas amigas”.

“Eu nasci em Blumenau mas passava minhas férias em Brusque. Sempre chorava na hora de voltar para casa”, brinca “Eu amo essa cidade, foi onde tive a melhor parte da minha vida”, conta Tania.

A mãe da participante afirma que sua família adora o reality show e vibrou muito com a notícia de que a personal trainer seria uma das selecionadas. Ela garante que irá acompanhar todos os passos de Jéssica. “Vou bater em todo mundo que maltratar a minha filha”, brinca.

As duas têm uma ligação muito forte. Jéssica sempre pede opinião para a mãe, que está pronta para ajudar. “Ela nunca me deu trabalho, não foi uma ‘aborrecente’. Só foi baladeira”.

Jéssica tem mais de 20 mil seguidores no Instagram, onde posta informações sobre saúde e atividades físicas. Ela já participou de concursos de beleza e de campanhas publicitárias. A garota vai concorrer a um prêmio de R$ 1,5 milhão.

Família surpresa
Familiares de Jéssica que moram em Brusque ficaram surpresos com a participação da jovem no BBB. Fernanda Krieger Russi, moradora do Poço Fundo, é prima de Jéssica e conta que soube da novidade por meio das redes sociais.

Ela diz que pensava que o programa pudesse ter “falcatrua”, mas com a participação de um familiar, acredita na seriedade do reality. “Ficamos surpresos e felizes pela Jéssica, pois é algo que ela gosta”.

Fernanda conta que há quatro anos “as primas” da família se encontram a cada três meses para confraternizar. Jéssica sempre está presente, e inclusive, o último evento aconteceu na casa dela, em Florianópolis.

“Cerca de 20 primas participam, entre as agregadas, que são as esposas dos primos e também os filhos. É uma tradição da família e a Jéssica sempre é presença confirmada”, diz.

Sigilo e confinamento
Jéssica decidiu fazer inscrição estimulada por uma amiga. Em junho do ano passado, participou de uma entrevista no Hotel Majestic, em Florianópolis. Em novembro, precisou ir ao Rio de Janeiro participar de uma sabatina. Desde então estava ansiosa, esperando uma resposta.

No início da semana passada, Jéssica recebeu um telefonema da produção do programa informando que na terça-feira, 16, uma equipe iria à casa da família gravar uma reportagem. Por via das dúvidas, Tania orientou a filha a deixar uma mala pronta.

A intuição de mãe estava correta: assim que recebeu o pessoal do BBB, a jovem foi informada de que estava no programa. Teve o celular confiscado e foi levada ao Rio de Janeiro. Desde então, Tania não tem notícias da filha.

Chances no programa
Conforme a mãe, Jéssica não deve ter dificuldades para fazer amigos e conviver no ambiente de confinamento. Mas prevê que a personalidade de atleta vai aparecer para os telespectadores.

“Ela é muito tranquila, divertida. Só que tem horas que ela é meio paviozinho curto. Não briga, não berra. Mas se ela discorda, ela discorda”.

Jéssica tem mais de 20 mil seguidores no Instagram, onde dá dicas de saúde / Foto: Arquivo pessoal

Atleta de Blumenau
A nova big brother estudou nas escolas Júlia Lopes de Almeida, Pedro II e Sagrada Família, em Blumenau. A partir dos 9 anos, treinou ginástica artística no Grêmio Esportivo Olímpico. Competiu por Blumenau em Joguinhos Abertos e Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc). Tânia conta que a filha coleciona mais de 100 medalhas conquistadas.

A carreira como ginasta foi interrompida por uma lesão no ligamento do joelho, aos 16 anos. Mas o esporte nunca mais deixaria a vida de Jéssica, que cursou Educação Física na Furb e se tornou personal trainer.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio