Perícia do acidente de Mirela Kohler é divulgada

Polícia e IGP finalizaram os laudos relacionados ao acidente que matou a servidora da Prefeitura de Botuverá no último dia 30

Perícia do acidente de Mirela Kohler é divulgada

Polícia e IGP finalizaram os laudos relacionados ao acidente que matou a servidora da Prefeitura de Botuverá no último dia 30

O Instituto Geral de Perícias (IGP) e a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) finalizaram os laudos relacionados ao acidente de Mirela Carla Pereira Kohler, servidora da Prefeitura de Botuverá que morreu num acidente de carro no dia 30, na rodovia Pedro Merízio (SC-486). De acordo com Paulo Freyesleben, responsável pela delegacia de polícia de Botuverá, o próximo passo da investigação será ouvir as testemunhas.

A conclusão do IGP foi que a causa da morte foi afogamento. Na época, a dúvida era se Mirela tinha morrido com a pancada que o carro deu ao cair do barranco e parar no rio Itajaí-Mirim ou se tinha se afogado. A perícia constatou que Mirela estava inconsciente quando o veículo estava no rio e que morreu por afogamento.

O laudo da polícia rodoviária não determina se houve excesso de velocidade. Ele apenas aponta que a condutora freou por 17 metros antes de bater em duas árvores que ficavam ao lado da rodovia e seguir até cair de um barranco e parar no rio. Por tratar-se de uma morte violenta, a investigação deve continuar, mesmo que não haja um culpado.

Freyesleben afirma que quatro pessoas serão ouvidas: um servidor da Celesc, que, a princípio, foi o primeiro a chegar ao local do acidente; um policial militar de Botuverá que chegou logo em seguida; e os policiais rodoviários que atenderam a ocorrência. Depois disso, o inquérito será enviado ao Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC), que decidirá se houve crime ou não.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio