Prefeitura de Brusque anuncia parcerias para reduzir filas na saúde

Programa Fila Zero tem a missão de atender demanda represada de exames, consultas e cirurgias

Prefeitura de Brusque anuncia parcerias para reduzir filas na saúde

Programa Fila Zero tem a missão de atender demanda represada de exames, consultas e cirurgias

A Prefeitura de Brusque anunciou na tarde desta quinta-feira, 9, no Hospital Dom Joaquim, o início do Fila Zero no município. O objetivo do programa é tentar zerar ou, pelo menos, diminuir significativamente a demanda represada de cirurgias, consultas e exames especializados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O anúncio foi feito pelo prefeito Jonas Paegle, pelo secretário de Saúde, Humberto Fornari, e pelos diretores dos hospitais Dom Joaquim e Azambuja, José Mauro Junglaus e Fabiano Amorim. Após a explanação sobre como funcionará o programa, foi realizada a assinatura do convênio entre as entidades.

Demanda é de 14 mil consultas atrasadas
De acordo com Fornari, a demanda represada de cirurgias em Brusque é de quase duas mil, já as consultas com especialistas ultrapassam 14 mil. A ideia da prefeitura é realizar todos os procedimentos atrasados em um período de três meses. Para isso, a secretaria de saúde pretende ampliar o horário de atendimento para as consultas, inclusive, realizando atendimentos aos sábados, e autorizar um número maior de exames. As cirurgias também serão realizadas em horários alternativos, de acordo com a necessidade dos hospitais parceiros.

“Os estudos para o programa iniciaram em fevereiro após diagnóstico inicial sobre a realidade da nossa estrutura de saúde”, destaca o secretário.

Segundo ele, as cirurgias já estão acontecendo desde o último sábado, principalmente nas áreas de otorrinolaringologia, proctologia e oftalmologia. “Temos procedimentos já acontecendo, alguns profissionais ainda não entraram no programa porque faltavam alguns acertos com os hospitais, e nos próximos dias teremos também cirurgia geral, para realizar os procedimentos”.

Também serão contempladas pelo programa a cardiologia, dermatologia, endocrinologia, ortopedia e a área vascular. “Trouxemos alguns profissionais novos para a rede para ampliar o atendimento durante o programa, com isso, conseguimos agregar valores humanos e tecnológicos para zerar a demanda”.

Fornari ressalta que o objetivo é realizar, no mínimo, 100 cirurgias por semana para dar conta de toda a demanda atrasada. “Só vascular, acredito que dá pra fazer 40 por semana, oftalmologia acredito que será mais de 100”.

Prefeitura terá custo extra de R$ 350 mil
A parceria com os hospitais e os profissionais de saúde vai possibilitar que todo o programa seja executado com um custo extra de cerca de R$ 350 mil para a prefeitura. Levantamento feito pela secretaria de Saúde, entretanto, mostra que o custo de todos os quase 15 mil procedimentos que estão aguardando para serem realizados desde 2015, ultrapassaria os R$ 2 milhões.

Essa redução do valor é possível porque os hospitais aumentaram o número de procedimentos que devem ser realizados mensalmente pelo SUS. No Hospital Dom Joaquim, por exemplo, tem um contrato de 75 cirurgias por mês, no entanto, com o programa Fila Zero, deve realizar 150. “Estamos felizes em fazer parte deste programa e firmamos nosso compromisso em ajudar a reduzir essa fila de espera por cirurgias. A prefeitura tem o plano de ação e nós temos os instrumentos para realizá-lo”, diz o diretor do Hospital Dom Joaquim, Mauro Junglaus.

O prefeito Jonas Paegle ressaltou a importância de zerar a demanda nos procedimentos de saúde. “Esta é uma promessa de campanha que estamos cumprindo. As cirurgias que estão na espera não são de urgência, mas é preciso atenção para que não evoluam para algo mais grave, por isso, a prefeitura está fazendo o programa Fila Zero, que vem para beneficiar a comunidade”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio