Prefeitura de Brusque lança edital para retomar castrações de animais

Segundo Secretaria de Saúde, hiato estava vinculado à burocracia que envolve a licitação

Prefeitura de Brusque lança edital para retomar castrações de animais

Segundo Secretaria de Saúde, hiato estava vinculado à burocracia que envolve a licitação

A Prefeitura de Brusque lançou recentemente o edital de licitação para o credenciamento das clínicas veterinárias que desejam participar do programa de castração do município. O contrato anterior havia sido encerrado em dezembro do ano passado. Ou seja, os procedimentos cirúrgicos em cães e gatos estavam paralisados há cerca de quatro meses.

De acordo com a secretária de Saúde, Ivonir Zanatta Webster, a Crespa, o hiato está vinculado à burocracia que envolve o lançamento da licitação. Além disso, ela também afirma que, no início do ano, a retomada dos processos administrativos são mais lentos. O que retarda os lançamentos das licitações. Para a secretária, no entanto, a retomada do programa é fundamental para o controle da população de cães e de gatos do município.

Como de costume, o programa ocorrerá ao longo de todo o ano. Apenas pessoas com renda familiar abaixo de R$ 1,6 mil poderão se cadastrar junto à Vigilância Sanitária. Após os cadastros, o órgão entrará em contato com o tutor do animal para agendar o procedimento cirúrgico.

Embora esteja contente com a retomada do programa, a presidente da Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra), Lilian Dressel, afirma que a execução das castrações é lenta. Segundo ela, os animais que a Acapra cadastra no programa demoram média de seis meses para serem chamados.

“O programa acaba sendo muito demorado. Quando chega na hora de chamar algum animal nosso, por exemplo, ele já pode ser sido doado, pode ter fugido ou morrido. Deveria ser mais rápido. E o edital já deveria ter sido lançando em janeiro, a seleção das clínicas deveria começar em fevereiro, os cadastros em março e agora em abril já poderia estar castrando”, argumenta.

De acordo com a presidente, durante a gestão do ex-prefeito Paulo Eccel, a Acapra havia cobrado melhorias para agilizar as castrações. No entanto, o cenário continuou o mesmo. Lilian afirma ainda que, quando a nova gestão assumiu, a entidade também conversou com a Secretaria de Saúde para tentar solucionar o problema.

“Nós tínhamos alguns animais que estavam cadastrados no ano passado e que não foram castrados através do programa, então os que eram mais urgentes nós tivemos de fazer de forma particular ou através de padrinhos e madrinhas de castração. E continuamos assim enquanto o programa não retorna. Divulgamos e pedimos auxílio pela nossa página do Facebook”, conta.

De fevereiro a julho do ano passado, 150 castrações haviam sido realizadas por meio do programa. A reportagem tentou atualizar o número de procedimentos realizados no restante do ano junto à Vigilância Sanitária, porém não obteve sucesso até o fechamento desta edição.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio