Secretário de Educação de Brusque quer mudanças na lei da Fila Única

Segundo José Zancanaro, pais que teriam tempo hábil para cuidar de seus filhos ocupam grande parte das vagas

Secretário de Educação de Brusque quer mudanças na lei da Fila Única

Segundo José Zancanaro, pais que teriam tempo hábil para cuidar de seus filhos ocupam grande parte das vagas

Já chega a 413 o número de crianças de seis meses a quatro anos que esperam um lugar nas creches de Brusque. O Fila Única, programa lançado em outubro de 2016 para cadastro dos interessados, surgiu para solucionar parte do problema, beneficiando os pais por ordem de inscrição.

Porém, um novo impasse surgiu a partir do projeto, segundo explica o secretário da Educação, José Zancanaro: não há critérios para priorizar pessoas com mais urgência em ocupar as vagas. O secretário afirma que foi realizada uma pesquisa pela pasta a respeito do perfil dos pais de crianças que estão nas creches do município.

O resultado revelou que grande parte das vagas são ocupadas por filhos de pais que possuem tempo hábil para cuidar da criança que ainda não tem idade para estudar. “Das cerca de mil crianças que estão com essa idade para creche, entre 500 e 600 são filhos de pessoas que não trabalham. A prioridade das vagas deve ser para pais que comprovadamente trabalham e não têm condições de cuidar de seus filhos”, completa.

Decreto deve alterar o processo

Nas próximas semanas, a Secretaria de Educação deve alterar o programa Fila Única justamente para priorizar pais que trabalham. Para isso, Zancanaro afirma que o decreto do atual projeto será revogado, e um novo apresentado. “Estamos em conversas com o prefeito com a intenção dessa alteração. Não acreditamos que seja justo a mãe que não trabalha ser beneficiada em detrimento daquela que tem uma profissão e não tem condições de cuidar do filho”, explica Zancanaro.

O secretário vai além e ressalta o alto índice de pessoas que deixam os filhos aos cuidados dos educadores enquanto poderiam tomar conta. “São mais de 50% dos casos, mães que deixam a criança na escola para ir na piscina, para passear no Centro, em detrimento daqueles que trabalham. A escola não é depósito de crianças”, completa.

Se confirmada a alteração do programa, os pais que apresentarem documentos que servem como comprovação de trabalho terão prioridade e serão chamados primeiro assim que surgirem vagas nas creches.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio