Sinseb diz que Prefeitura de Guabiruba não cumpriu com alguns dos itens acordados em março

Reinvindicação é referente ao piso nacional do magistério, da não implantação do tíquete alimentação e do corte de marmitas

Sinseb diz que Prefeitura de Guabiruba não cumpriu com alguns dos itens acordados em março

Reinvindicação é referente ao piso nacional do magistério, da não implantação do tíquete alimentação e do corte de marmitas

Os servidores públicos de Guabiruba reclamam que a prefeitura não cumpriu com alguns dos itens acordados no fim de março, quando após ato em frente ao Executivo, foram definidas melhorias nos benefícios aos funcionários.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Brusque e Região (Sinseb) diz que até o momento o tíquete alimentação de R$ 200 mensais para carga de 40 horas não foi implantado. Além disso, foram cortadas as marmitas dos funcionários que fazem horas extras, e o piso nacional do magistério veio como complementação, não no salário base.

O presidente do Sinseb, Orlando Soares Filho, diz que quanto ao pagamento da insalubridade, houve acerto da redução e que estão verificando os servidores que tem e os que passaram a ter, para buscar o pagamento retroativo dos cinco anos.

Ele afirma que os servidores se reuniram na terça-feira, 10, e algumas deliberações foram tomadas. Ainda nesta segunda quinzena devem estar com o prefeito para esclarecer o não cumprimento do acordo. Soares Filho ainda diz que vão esperar a folha de pagamento do município do quadrimestre para ver se teve aumento e poder negociar o reajuste salarial. “Estamos no aguardo de melhores condições para o nosso servidor. O que é mais prejudicial é que não foi implantado o vale alimentação e foi cortado as marmitas para o pessoal que faz horas extras”.

Prefeito discorda

O prefeito Matias Kohler diz que o acordo feito com o sindicato está sendo cumprido. Ele explica que apenas o processo licitatório da empresa que oferecerá o tíquete alimentação está atrasado, mas que até o fim da próxima semana deverá estar disponível. O valor do vale será depositado ao servidor no pagamento do mês de abril e a partir de maio será efetuado até o dia dez.

Kohler afirma que com o tíquete alimentação o município precisa fazer o corte das marmitas. Ele diz que não é compatível e legal fornecer marmitas e o vale alimentação. O prefeito ainda diz que foi definida a complementação para o servidor do magistério que estivesse abaixo do piso nacional e que isso está sendo cumprido. “O que está sendo falado não tem fundamento. Observo que é direito do servidor buscar uma remuneração melhor, mas o município não tem condições legais de pagar mais”.


Acordo

Na mobilização realizada pelos servidores públicos em frente à Prefeitura de Guabiruba no dia 31 de março, ficou definido a implantação de um tíquete alimentação de R$ 200 mensais para carga de 40 horas e a complementação do piso do magistério, retroativo a janeiro de 2016.

Além disso, a prefeitura se comprometeu a realizar o pagamento da insalubridade conforme laudo encaminhado ao Sinseb e a retomar os pagamentos de licenças-prêmio ao limite financeiro de R$ 25 mil ao mês. Também ficou acordado a retomada do pagamento de dez dias de férias.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio