Sol ilumina domingo de festa de Azambuja

Fiéis de várias cidades participaram do evento em homenagem à Nossa Senhora de Azambuja

Sol ilumina domingo de festa de Azambuja

Fiéis de várias cidades participaram do evento em homenagem à Nossa Senhora de Azambuja

A chuva que caiu sobre Brusque nos últimos dias não impediu que fiéis e festeiros comparecessem às comemorações da festa de Nossa Senhora de Azambuja no sábado, 16. Contudo, no domingo, 17, de manhã, o mau tempo deu lugar ao sol e animou os fiéis, que lotaram o Santuário e também acompanharam a missa solene presidida pelo arcebispo Dom Wilson Tadeu Jönck. As orações e o almoço com pratos típicos deram continuidade à festa.
Este ano, a grande preocupação dos organizadores estava relacionada à instabilidade do tempo. “Apesar da chuva no sábado, o pessoal compareceu e hoje (domingo) com sol o movimento está ainda maior”, comemora o padre Nélio Roberto Schwanke, diretor administrativo do Hospital Azambuja. Para ele, a festa é uma forma de o peregrino pedir proteção e agradecer as bênções recebidas. “Os fiéis vêm de todas as cidades e nós recebemos eles de braços abertos. Queremos que eles se sintam acolhidos e que todos os anos venham até aqui”.
Moradores de Itajaí, o casal Ingo e Marlete Kobarg visita todas as edições da festa. No domingo, dois carros da família trouxeram eles, os filhos, as noras e os netos. “Somos católicos e acreditamos em Nossa Senhora. Viemos agradecer e receber a bênção”, afirma a dona de casa. Para Ingo, as comemorações melhoram a cada edição. “Mesmo com o passar do anos, os fiéis lotam. E a qualidade da festa fica ainda melhor”.
Lino e Arlete Cassaniga é outro casal que comparece em todas as edições em homenagens à Assunção de Maria. Ano passado eles integraram o grupo de festeiros. Em 2014, porém, somente marcaram presença, tanto na festa quanto na missa solene. “Isso aqui é tudo de bom. Fomos educados religiosamente e sempre viemos à missa aos domingos”, conta o empresário. Na década de 50, quando tinha 20 anos e morava em Canelinha, Lino lembra que a BR-101 ainda não existia e os ônibus das excursões que se deslocavam até a festa de Azambuja passavam na estrada de chão em frente a sua casa. “Com o tempo, também começamos a vir e ficamos devotos”.
A barraquinha do grupo de voluntários “Mãos que se doam”, do Hospital de Azambuja, foi uma das cerca de 200 que fizeram parte da festa. Toalhas com bordados feitos à mão e de crochê, e roupas de bebê foram algumas das peças comercializadas pelas voluntárias Maria Madalena de Modesti Leoni, Valéria Dada e Juraci Coelho. “As vendas estão muito boas e esperamos arrecadar em torno de R$ 600,00”, afirma Maria. O dinheiro arrecadado pelo grupo será revertido, através de materiais, para as alas do hospital.
Também integrantes de um grupo, mas da melhor idade – e de Florianópolis -, Vera Vieira, Beatriz Coelho, Maria Faustino e Maria Francelina vieram à festa em dois ônibus. “Vim pela segunda vez. Sou católica e além de vir pelo passeio do grupo, venho também para agradecer à Nossa Senhora”, afirma Vera. As amigas aproveitaram a viagem para conhecer a Gruta de Nossa Senhora de Caravaggio. “O percurso até a gruta é muito bacana. Aprovei a festa e as comemorações. O pessoal é muito animado”, diz Beatriz, que participou do evento pela primeira vez.
O ministro da eucaristia do Santuário, Nilo Vicente, foi um dos responsáveis pela arrecadação de dinheiro. Para ele, é gratificante auxiliar o seminário, o santuário e o hospital. “Eu sempre me sinto feliz pela participação do fiéis. Um pouco da ajuda de cada um beneficia os três locais”, diz. Nilo frequenta a festa há 15 anos.
Além das novenas preparatórias que ocorreram de oito a 16 de agosto, as homenagens à Assunção de Maria iniciaram no sábado com a procissão luminosa ao Morro do Rosário e um show pirotécnico. No domingo, missas e confissões receberam o público das 7h30 às 19h.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio