Técnico dos Estados Unidos visita Abel em busca de talentos para sua equipe

Andrew Palileo, técnico da equipe de vôlei da University of North Texas, observou as atletas da equipe brusquense

Técnico dos Estados Unidos visita Abel em busca de talentos para sua equipe

Andrew Palileo, técnico da equipe de vôlei da University of North Texas, observou as atletas da equipe brusquense

 

A Associação Brusquense de Esporte e Lazer (Abel) vem se consolidando como uma referência internacional na formação de atletas de voleibol. Depois de confirmar a contratação de duas atletas por equipes norte-americanas, o clube recebeu a visita de Andrew Palileo, técnico de uma equipe universitária dos Estados Unidos.

Andrew acompanhou o treino das jovens da Abel na noite desta quarta-feira, 7, realizado no Colégio Cultura / Amplo, e conversou com as atletas, interessado principalmente naquelas que estão frequentando os últimos anos do ensino médio. A viagem de Andrew para o Brasil foi justamente para captar talentos que possam fortalecer o time de vôlei da University of North Texas.

Interesse americano
Foi a primeira vez que o técnico visitou o Brasil, a convite de um amigo. Ele chegou em Curitiba e passou a visitar clubes do Sul do país, sempre observando e oferecendo a possibilidade de atletas ganharem bolsas de estudo na universidade texana para defender o time.

Segundo ele, que já visitou outros países, o Brasil é visto como um polo do voleibol mundial. “É um país com uma boa reputação na modalidade. Têm excelentes atletas, e por isso decidi vir pra cá e ver pessoalmente. Além disso aproveito para acompanhar o trabalho dos técnicos e aprender ainda mais”.

Cauane e Mariana já acertaram ida para os Estados Unidos. Foto: Cristóvão Vieira

Quem já está se preparando para o Texas, mas para defender o Trinity Valley, é Cauane Olivette Krainski. Já está tudo acertado para a atleta que faz as malas em junho, quando deixa o Brasil para viver, jogar e estudar durante seis anos nos Estados Unidos. “Vou fazer dois anos de college, voltado para poucas disciplinas mais específicas, e depois mais quatro anos de faculdade. Tive que aumentar muito meu vocabulário de inglês nos últimos meses, fiz um intensivo para aprimorar algumas coisas que não conhecia”.

Enquanto isso, Mariana Brambilla estará mais ao leste, no estado de Geórgia, jogando e estudando na Georgia Tech, ou o Instituto de Tecnologia da Geórgia. “Estou com grandes expectativas. Vai ser uma nova experiência. Eu vou poder manter meus estudos enquanto estarei jogando. O voleibol e a Abel foram fundamentais para mim, porque me abriram estas portas”, explica.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio