Testemunhas contam momentos de pânico com o desabamento de parte do antigo Casarão Schaefer

Inúmeros relatos de pessoas que viram o acidente foram enviados ao jornal

Testemunhas contam momentos de pânico com o desabamento de parte do antigo Casarão Schaefer

Inúmeros relatos de pessoas que viram o acidente foram enviados ao jornal

Após o desabamento de parte do antigo Casarão Schaefer, no Centro de Brusque, nesta terça-feira, 6, que resultou na morte do operário Augusto José Nichelatti, 57 anos, inúmeros relatos de pessoas que testemunharam o acidente foram enviados ao jornal.

A comerciante Ana Cláudia Rocha chegava para trabalhar no momento em que aconteceu o desabamento. Ela conta que ouviu o barulho e, ao se virar, viu tudo no chão. “Pensei que tinha atingido um homem que passava de bicicleta na hora, mas ele conseguiu recuar a tempo”, conta.

Assim que aconteceu o acidente, ela e outras pessoas que estavam próximas correram para tentarem socorrer os trabalhadores. Uma mulher que passava de carro bem no momento, não chegou a ser atingida, mas entrou em choque ao ver o local desmoronar. “Ligamos para o Corpo de Bombeiros, e os socorristas precisaram acudir ela também, que passou mal dentro do carro”, diz.

A analista de atendimento Michele Benvenutti Batista, 28 anos, também precisou ser medicada assim que chegou ao consultório odontológico, a poucos metros do local do acidente. Ela conta que por questão de segundos não foi atingida pela estrutura.

“Eu passei em frente ao casarão, pois estava indo ao dentista, caminhei mais um pouco e ouvi o estrondo, estava de costas. Quando olhei já estava tudo no chão. Eu fiquei em choque, porque não entendi o que tinha acontecido”.

O vendedor de loja de informática Vinícius Terra Prestes, 33, também foi um dos primeiros a chegar ao local. Ele havia recém chegado ao local onde trabalha, que fica ao lado do casarão. “Estacionei em frente à loja e aguardava dentro do carro, quando ouvi o barulho”, lembra.

Imediatamente, Prestes saiu do carro e correu para ver o que havia acontecido. “Retirei umas placas que caíram no meio da rua, para não prejudicar o trânsito. Mas foi muito assustador, todo mundo entrou em pânico”, diz.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio