Vereadora quer tornar cuca de farofa patrimônio de Guabiruba

Projeto de lei considera apenas a receita básica alemã, comuns em festas de igrejas

Vereadora quer tornar cuca de farofa patrimônio de Guabiruba

Projeto de lei considera apenas a receita básica alemã, comuns em festas de igrejas

A vereadora Rosita Kohler apresentou projeto de lei para que a receita tradicional da cuca de farofa de Guabiruba seja considerada patrimônio cultural, histórico e imaterial do município. Ela argumenta que a iguaria alemã remonta à história dos imigrantes que colonizaram a cidade.

O projeto de lei foi apresentado na última sessão, na terça-feira, 3. Foi despachado para as comissões de Legislação, Justiça e Redação Final e de Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social, para depois retornar ao plenário.

A vereadora justificou, no projeto e na tribuna, que a cuca sempre fez parte do desenvolvimento dos guabirubenses. “A receita original provém do conhecimento e da prática desenvolvida pelas cozinheiras, desde o início da imigração alemã, transmitida de geração a geração no meio familiar e pela comunidade, principalmente nas festas de igreja, fazendo parte de sua memória e identidade cultural”, escreveu.

Rosita afirmou que a cuca, na época dos imigrantes, era uma iguaria servida somente em ocasiões especiais. Somente depois é que se popularizou e virou comum nas residências, casamentos e aniversários.

Entretanto, a vereadora estipula qual é a receita básica considerada patrimônio. O “Blechkuchen”, conhecido simplesmente por “kuchen”, é um bolo raso feito de massa de levedura – composta de farinha, levedura e açúcar mascavado – em uma assadeira de alumínio, coberta por uma farofa crocante à base de açúcar, gordura (banha) e farinha de trigo, referindo-se a tradicional cuca de farofa.

A vereadora admite que há vários tipos de cucas populares pela região, mas a de Guabiruba destaca-se, justamente, por seguir a receita básica tradicional. “É porque ela mantém a autenticidade e o ‘segredo’ do saber fazer da ‘oma’, onde a tradição da culinária alemã mantém-se fiel às suas origens”, escreveu.

Valorização
Para o prefeito Matias Kohler, o projeto de lei é importante para valorizar a tradição da cuca, muito arraigada em Guabiruba. “A valorização das origens é muito forte, por ser colonizado por europeus, principalmente alemães e italianos”, diz.

Kohler diz que a cuca também poderá ser utilizada turisticamente. A prefeitura está trabalhando para vocacionar e desenvolver o turismo no município.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio