Vigilância Epidemiológica não descarta surto de dengue em Brusque

Nesta quarta-feira, 25, foi confirmado o terceiro caso da doença em Brusque; cinco casos suspeitos aguardam resultado do exame

Vigilância Epidemiológica não descarta surto de dengue em Brusque

Nesta quarta-feira, 25, foi confirmado o terceiro caso da doença em Brusque; cinco casos suspeitos aguardam resultado do exame

A Vigilância Epidemiológica de Brusque confirmou ontem o terceiro caso de dengue registrado no município neste ano. Conforme o órgão, o caso está sendo tratado como importado – quando o contágio acontece fora do município. A paciente em questão viajou ao Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, e contraiu a doença em um desses locais.

A coordenadora do Centro de Vigilância em Saúde da prefeitura, Fernanda Lippert, afirma que não se pode descartar a possibilidade de um surto de dengue em Brusque, a exemplo do que ocorre em Itajaí, devido à proximidade dos municípios. Ela ressalta a rapidez de reprodução do mosquito Aedes aegypti, que só precisa de sete dias de água parada para completar seu ciclo de vida.

“Por isso reforçamos que é fundamental a participação da população, na eliminação de água parada e na limpeza da cidade”, diz Fernanda.

Até o momento, 22 casos de suspeita de dengue foram notificados junto à Vigilância Epidemiológica. Destes, três já foram confirmados e cinco aguardam resultados de exames laboratoriais feitos em Florianópolis. Os demais já foram descartados.

“O número de pacientes suspeitos aumenta todos os dias, pois notificamos e investigamos todos os casos de pacientes que apresentam febre alta e mais um ou dois sintomas de dengue”, afirma a coordenadora.
Locais de risco

Conforme a Vigilância Epidemiológica, 13 focos positivos do mosquito da dengue foram detectados no município. Nesses locais foram encontradas larvas do Aedes aegypti. O bairro Nova Brasília, com seis focos, está no topo da lista, seguido por Santa Terezinha e Bateas, com dois focos; e Centro, Cedrinho e Santa Rita, com um foco.

Segundo Fernanda, as ações de fiscalização foram redobradas nestes locais, principalmente em Nova Brasília, pois a maioria das residências desse bairro tem apresentado reservatórios de água parada, os quais aumentam a probabilidade de proliferação do mosquito transmissor da dengue.

A coordenadora do Centro de Vigilância em Saúde afirma que tem observado empenho dos brusquenses, principalmente nas denúncias de possíveis focos, mas ressalta que grande parte da população está deixando água parada e dando condições para o mosquito Aedes aegypti continuar seu ciclo de vida.

“Precisamos do empenho de todos, não deixando água parada, observando com mais atenção todo o entorno da sua residência, limpando e colocando cloro nas piscinas, promovendo mutirões de limpeza do seu bairro junto às associações de moradores, não jogando lixo em terrenos baldios”, ressalta Fernanda.
Medidas serão intensificadas

Para combater o possível surto de dengue, a Vigilância Epidemiológica aumentou o quadro de funcionários envolvidos no combate aos focos, e capacitou 157 agentes comunitários de saúde para desempenhar funções preventivas. “Estamos também desenvolvendo atividades conjuntas com as associações de moradores, representantes sindicais e delegados do Orçamento Participativo”, explica.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) do estado divulgou ontem novo boletim sobre a dengue no estado, no qual constam 151 casos confirmados. Do total, 122 foram transmitidos dentro do próprio estado. Até o momento, há registro de 1.828 focos do Aedes aegypti.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio