Conteúdo exclusivo para assinantes

Abrigo para moradores de rua será transferido para prédio no Centro de Brusque

Local funcionará em sistema de albergue, como nas antigas instalações da Arena Brusque

Abrigo para moradores de rua será transferido para prédio no Centro de Brusque

Local funcionará em sistema de albergue, como nas antigas instalações da Arena Brusque

O abrigo para moradores de rua de Brusque será transferido para a rua Dr. Penido, no antigo almoxarifado da Secretaria de Saúde, próximo ao parque Leopoldo Moritz e à sede do Grupo Escoteiro Brusque.

O novo local funcionará com os mesmos serviços de quando o atendimento era realizado na Arena Brusque até o fim de 2017, em sistema de albergue: os moradores de rua saem durante o dia e terão acesso à janta, banho e cama, com acompanhamento de equipe técnica com assistentes sociais e psicólogos. A previsão é de que a estrutura esteja funcionando até o fim de março, ultrapassando o prazo de 48 horas solicitado ao Judiciário pela 2ª promotoria de Justiça de Brusque.

Ministério Público processa prefeitura por falta de atendimento a moradores de rua

O Centro Especializado de Assistência Social (Creas) fará normalmente o acompanhamento dos moradores de rua. O abrigo passa por obras de adaptação de um projeto do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI) e terá capacidade para 30 pessoas.

“Será um espaço sem vizinhos, já houve outras vezes em que houve reclamações neste sentido. A população costumava se incomodar bastante”, explica a assistente social e técnica responsável pela gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas) em Brusque, Fabiana Demétrio.

O abrigo estava funcionando na Arena Brusque, mas foi fechado já no fim de 2017. Após o fechamento, alguns moradores de rua começaram a se instalar do lado de fora do antigo prédio dos Correios, na avenida Monte Castelo. “Eles já recebem atendimento e acompanhamento do Creas desde o ano passado, e poderão ser acolhidos no novo abrigo”, diz Fabiana.

“A demanda era quase zero, e o local não era adequado, um lugar de esportes e grandes eventos. Acreditamos que a adesão será maior com a abertura do albergue”, explica o secretário de Assistência Social, Odair Bozio. O funcionamento do abrigo na Arena Brusque era alvo de críticas, inclusive da Polícia Militar.

Segundo o tenente-coronel Moacir Gomes Ribeiro, a escolha da Arena para o abrigo de andarilhos foi “completamente errada”. Gomes diz que o local foi mal escolhido porque fica ao lado do pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof, onde “70% dos eventos da cidade acontecem”.

Durante pronunciamento em evento do Grupo de Proteção de Infância e Adolescência (Grupia), o comandante destacou a necessidade de o poder público encontrar uma solução para o problema dos moradores de rua no município.

“Tivemos problemas durante a Fenajeep e a Fenarreco”, revelou. De acordo com ele, durante a Fenarreco a PM teve problemas de andarilhos que estavam no abrigo e mexiam com as mulheres.  Ele falou, ainda, que houve até tentativa de furto de veículo por parte de andarilhos abrigados durante eventos.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio