Conteúdo exclusivo para assinantes

Antigo imóvel do Iprev será usado para a Unidade Básica de Saúde do Centro

Governo do estado autorizou o órgão a ceder a casa para a Prefeitura de Brusque

Antigo imóvel do Iprev será usado para a Unidade Básica de Saúde do Centro

Governo do estado autorizou o órgão a ceder a casa para a Prefeitura de Brusque

O governo do estado autorizou o Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev) a locar para a Prefeitura de Brusque o imóvel localizado na rua Riachuelo, no Centro. De acordo com o secretário de Saúde, Humberto Fornari, o imóvel deve ser destinado para a instalação da Unidade Básica de Saúde (UBS) da área central.

Fornari destaca que a intenção da prefeitura é desvincular o atendimento do Centro de Serviços em Saúde, onde fica a Policlínica, fazendo com que os moradores do Centro tenham um local exclusivo para atendimento.

“Acredito que o fluxo de atendimento vai melhorar muito. A equipe que atua na UBS do Centro será reconhecida pelos pacientes como a equipe do seu bairro. Isso hoje não acontece porque se mistura muito com a equipe da Policlínica. Queremos proporcionar esta aproximação”, diz.

O secretário, entretanto, ainda não sabe qual modelo será aplicado no local. De acordo com ele, a partir de 2018, as regras sobre as equipes necessárias serão mais flexíveis, por orientação do Ministério da Saúde.

“Até 2017, toda a atenção básica tinha de ser composta por equipes de Estratégia de Saúde da Família. Em 2018 não haverá essa rigidez e em regiões de menor vulnerabilidade, como o Centro, podemos destinar uma equipe mínima, sem a necessidade de agentes de saúde”, explica.

Segundo ele, hoje a unidade de saúde do Centro já não conta com esses profissionais, por isso, o atendimento não será prejudicado. “Ainda não sabemos se vamos manter esse perfil ou transformar em Estratégia de Saúde da Família. Vai depender do aval do governo federal”.

A Secretaria de Saúde espera que em março o local já esteja atendendo normalmente os pacientes. Antes disso, porém, a casa deverá passar por reformas mínimas, principalmente na questão da acessibilidade. “A secretaria de estado já fez uma reforma, o que falta é pintura e acessibilidade para transformar a casa num espaço de saúde”.

A casa tem área de 432m², sendo 244,58m² de área construída. Pela locação do espaço, a prefeitura vai desembolsar R$ 2,5 mil mensais. O local já serviu de abrigo para moradores de rua, e era alvo de constantes reclamações dos vizinhos.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio