Apesar do calor, venda de peças Outono/Inverno é boa em Brusque

Lojas acreditam que comercialização irá aumentar gradativamente com a chegada do frio

Apesar do calor, venda de peças Outono/Inverno é boa em Brusque

Lojas acreditam que comercialização irá aumentar gradativamente com a chegada do frio

O calor acentuado na região nesta estação, em que geralmente as temperaturas são mais amenas, não tem impedido as vendas da coleção Outono/Inverno nas lojas de Brusque. Peças mais leves, principalmente de tricôs, estão entre as mais procuradas pelos consumidores.

Na Hering Store, as peças de outono já foram praticamente todas comercializadas entre a segunda quinzena de março até agora. Já a coleção de inverno chegou na quarta-feira, 13, e teve uma boa saída, conforme a gerente da loja, Edi Wartha. Camisas de alfaiataria meia manga e manga longa, tricôs leves, calças de veludo, cotelês mais leves, são as peças que mais tem atraído os clientes.

Edi conta que o bazar realizado com peças de inverno nas coleções anteriores e mostruário das coleções atuais tanto infantil, como adulto masculino e feminino alavancou as vendas. “Temos peças muito diferentes que chamam a atenção do cliente. Há uma cartela de cores lindas também nesta estação”, afirma.

A gerente conta que a partir de maio virão peças mais pesadas – jaquetas, casacos, acessórios como cachecol. Os fios finos darão espaço aos grossos. Ela diz que a expectativa é que as vendas aumentem gradativamente neste período. Segundo Edi, o cenário projetado varia de 5% a 15% de crescimento no inverno.

Na J Canedo, a caixa Fernanda Kaszewski diz que jaquetas e flanelas já estão tendo uma boa comercialização desde o fim do mês passado. A diversidade das estampas é o que tem atraído os clientes. A promoção de ternos e camisas de manga cumprida com tricô também é um dos diferenciais para o crescimento das vendas. Ela explica que a maioria dos consumidores estão antecipando as compras, já que a previsão é de que este seja um inverno rigoroso. “Esperamos vender bastante e que o frio venha mesmo”.

Já na Virou Vício, a procura pela coleção de inverno ainda é baixa. A vendedora Roberta Jadine Severino diz que o calor intenso tem distanciado as pessoas das peças mais quentes. As mais frescas, por outro lado, como blusinhas de malha de manga curta de viscose e calça jeans continuam tendo boa saída.

Roberta acredita que a partir de maio as temperaturas devem diminuir e jaquetas, casacos com detalhes em courino e calças de montaria devem ser comercializadas. “Esperamos que esfrie um pouco e as vendas comecem a melhorar”.

Situação econômica

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque não possui ferramentas para mensurar como está o cenário de vendas da coleção Outono/Inverno no município. No entanto, o gestor executivo, Carlos Eduardo Vieira, diz que os registros no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) estão diminuindo e que os clientes estão buscando recuperar o crédito.

O gestor afirma que o comércio de Brusque é bem variado e que o consumidor encontra o que procura. Porém, ele diz que a situação econômica e política do país pode afetar o poder de decisão de compra do consumidor.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio