Assistência Social de Brusque quer ampliar número de Cras

Atualmente há apenas dois centros no município; pasta precisaria de pelo menos mais dois Cras para atender comunidade

  • Por Daiane Benso
  • 6:30
  • Atualizado às 10:11

Assistência Social de Brusque quer ampliar número de Cras

Atualmente há apenas dois centros no município; pasta precisaria de pelo menos mais dois Cras para atender comunidade

  • Por Daiane Benso
  • 6:30
  • Atualizado às 10:11
  • +A-A

Com uma demanda de mais de 1,1 mil usuários mensais, o Centro de Referência em Assistência Social (Cras) é um dos serviços que a Secretaria de Assistência Social e Habitação de Brusque pretende expandir. Atualmente são dois centros no município (nos bairros Azambuja e Limeira), que acabam não atendendo na totalidade às necessidades da população.

No entanto, para ampliar o serviço, a pasta depende da autorização do governo estadual, que neste momento não abrirá inscrições para credenciamento, já que há cidades de Santa Catarina que ainda não têm Cras.

A secretária Mariana Martins da Silva diz que Brusque está há dois anos na fila de espera da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, aguardando a liberação.

O órgão estadual é responsável por credenciar os município a receber o serviço, e neste momento, segundo ela, a premissa é beneficiar outras cidades. “Estamos sempre em contato e acompanhando por um sistema interno da prefeitura, que é ligado ao governo, se há alguma novidade e se as inscrições serão abertas”, diz.

Mariana considera que esperar dois anos é muito tempo, já que Brusque precisaria de pelo menos mais dois Cras para ampliar o atendimento.

“Hoje estamos nesta angústia, pois sabemos que precisaríamos para ontem, mas infelizmente existe essa imprevisibilidade por parte do estado e dependemos da autorização”, diz a secretária, que destaca, inclusive, que o município já pensa nos locais em que poderiam ser colocados os Cras: um na região que engloba os bairros Bateas, Steffen, Volta Grande e outro que poderia abranger moradores do Águas Claras e Santa Luzia. “São regiões em que poderíamos aproveitar espaços próprios e fugiríamos do aluguel”.

Mariana afirma que o Cras exerce um papel importante, pois trabalha, principalmente, na prevenção e do resgate do vínculo familiar. Ela explica que diferentemente do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que trata de situações de violência após acontecerem, o Cras realiza ações socioeducativas de prevenção com palestras e oficinas.

“São oficinas que envolvem a família, crianças, pais, adolescentes e reforçam questões dos direitos do cidadão. O Cras fortalece o vínculo familiar e evita problemas futuros, por isso sua importância na rede pública”.

Atualmente 150 famílias são atendidas em cada uma das unidades dos bairros Limeira e Azambuja. No prédio da secretaria, anexo à prefeitura, são 800 atendimentos. Informações podem ser obtidas na própria secretaria, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, ou no telefone 3251-1833.

Cras
O Cras oferece atendimento especializado nas áreas de vulnerabilidade e risco social. O espaço é público e disponibiliza atendimentos de acolhida e de convivência familiar e comunitária para as famílias, integrando aos programas sociais. Em Brusque, o Cras do bairro Limeira atua desde 2012 e o do Azambuja está em atividade há dois anos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio