Conteúdo exclusivo para assinantes
Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Bispo brusquense critica julgamento de Lula e a Operação Lava Jato

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Bispo brusquense critica julgamento de Lula e a Operação Lava Jato

destaque: plateia 1

Raul Sartori

Plateia 1
Bispo emérito da Igreja Católica, o brusquense Luiz Carlos Eccel, 65 anos, escreveu artigo publicado em mídias sociais, dia 21, criticando duramente o julgamento de Lula, que aconteceu três dias depois, pelo Tribunal Regional Federal. O que chama a atenção, logo no início, é sua opinião sobre o processo – “uma farsa” – e sua expectativa de pessoas a favor de Lula nas ruas de Porto Alegre dia 24: nada mais nada menos que dois milhões de pessoas. Dentre várias contas, a maior foi de 70 mil. Leia o artigo.

Plateia 2
Em outro artigo após o julgamento, sem fazer menção ao acachapante resultado contra Lula, Eccel diz crer que a Lava Jato “não foi criada para punir corruptos, e sim impedir, num acordo nacional, que governos populares cheguem ao poder”.

A lista
Se não se reelegeram ou conquistarem outros postos eletivos, 23 senadores ficarão sem foro privilegiado quando terminar seus atuais mandatos, no final do ano. Na lista estão os catarinenses Dalírio Beber (PSDB-SC), Vanessa Grazziotin (PCdoB do Amazonas), Valdir Raupp (MDB de Rondônia) e Ivo Cassol (PP de Rondônia). No grupo estão também Romero Jucá, Eunício Oliveira, Lindbergh Farias, Humberto Costa, Renan Calheiros, Garibaldi Alves, Jáder Barbalho, Edison Lobão, Gleisi Hoffmann, Cássio Cunha Lima, Aécio Neves, Agripino Maia, Ciro Nogueira, Benedito Lira, Aloysio Nunes, Lídice da Mata, Ricardo Ferraço, Eduardo Braga e Jorge Viana. A não ser uma ou outra exceção, não farão falta se forem saídos.

Desconfiança
Se todos os envolvidos na rumorosa compra, por R$ 83 milhões, pela Assembleia Legislativa, de um prédio na Avenida Mauro Ramos, no Centro de Florianópolis, tivessem agido com transparência desde o início, não haveria tanta desconfiança. Assim, ficará sempre a impressão de que alguém se beneficiou pessoalmente. Elementar isso.

Linha sucessória
O deputado Aldo Schneider (PMDB), que assumirá o comando do Legislativo estadual nesta terça-feira, passa também a ser o vice-governador, com a saída de Raimundo Colombo para dar lugar ao atual vice, Eduardo Pinho Moreira.

Auto proteção
Relatam as folhas que a conduta da delegada da Policia Federal em SC, Érika Marena, no episódio da prisão e o tratamento dado ao então reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancelier, enquanto detido, foi motivo de uma sindicância, comandada por um assessor dela. Concluiu-se que a divulgação da Operação Ouvidos Moucos seguiu os padrões e foi necessária, já que viaturas nas ruas chamariam a atenção da população. O resultado é mouco: exime a policial.

 

Perdas e ganhos
A 2ª Vara do Trabalho de Florianópolis acaba de intermediar um acordo em que 2,5 mil funcionários do antigo Inamps, hoje INSS, em SC, embolsarão cerca de R$ 70 milhões. A ação foi proposta há 27 anos e a principal requisição era a recomposição de perdas salariais sofridas em decorrência do Plano Bresser, de 1987.

Gol contra
Há tempos que o Figueirense busca a glória perdida que tinha na Série A, mas está difícil de achá-la. Boa parte da torcida, cética em relação ao atual modelo de gestão, continua com a pulga atrás da orelha. É que o grupo que teria deixado o clube ainda anda por lá e, agora como nunca, com o controle financeiro, firme, forte e resoluto.

Estradas
O governador Raimundo Colombo sancionou o projeto de lei de autoria do deputado Valdir Cobalchini (PMDB) que prevê destinação de 10% da parte que compete ao governo do Estado na receita do IPVA para a manutenção de rodovias.

Reconhecimento negado
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou pedido de uma paratleta catarinense, do atletismo, para obter benefício especial e o pagamento de R$ 100 mil, valor médio de premiações de atletas que vencem competições internacionais. A autora, que arremessa dardos, relata que já alcançou pódios de nível mundial e não teve nenhum reconhecimento do Governo Federal, apenas sobrevivendo de pequenos patrocínios.

Influente
O grupo Nexxera, que tem sede em Florianópolis, fez uma análise sobre o engajamento político eleitoral na internet e concluiu que o craque Neymar, que tem 180 milhões de seguidores nas redes sociais, tem mais influência que o dobro da soma de todos os atuais pré-candidatos à Presidência da República do Brasil.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio