Bruscão volta a jogar bem, mas em pênalti inexistente é derrotado pelo Criciúma

Quadricolor domina Tigre no Sul do Estado, mas novamente sai de campo derrotado

Bruscão volta a jogar bem, mas em pênalti inexistente é derrotado pelo Criciúma

Quadricolor domina Tigre no Sul do Estado, mas novamente sai de campo derrotado

O Brusque voltou a fazer uma grande partida no Campeonato Catarinense, foi melhor do que o Criciúma em boa parte do jogo, mas assim como em sua estreia, diante do Figueirense, novamente saiu de campo derrotado. 

Desta vez, além dos gols perdidos pela equipe quadricolor, o grande vilão da derrota foi o árbitro Jefferson Schimdt, que anotou um pênalti inexistente para o Criciúma aos 32 minutos da etapa final. Paulo Baier foi para cobrança e garantiu a vitória à equipe do Sul do Estado. 

O jogo
O Brusque mostrou que a boa performance na estreia contra o Figueirense não foi por acaso. Novamente mostrando organização, o time passou a marcar o Criciúma no campo de ataque desde o início de partida e, aos poucos, foi assumindo o controle do jogo.
As primeiras jogadas perigosas começaram a aparecer com Kiko, que levava vantagem sobre a marcação de Escudero na direita. Em uma das jogadas, após contra-ataque rápido aos 23 minutos, o atleta lançou Eydison nas costas da marcação. O camisa 9 saiu na cara de Galatto, mas o goleiro fechou o canto e evitou o gol quadricolor.
Foi a primeira de várias chances desperdiçadas pela equipe brusquense. Eurico também teve boa oportunidade em chute de fora da área aos 44, mas a bola passou raspando a trave tricolor. O Criciúma chegou com Lucca, aos 29, mas Wanderson fechou o canto e evitou o gol da equipe do Sul. Paulo Baier, em sua especialidade, as cobranças de falta, também levou perigo à meta quadricolor na primeira etapa.
Segundo tempo
O segundo tempo começou em ritmo intenso desde o apito inicial. Logo aos 40 segundos, Eduardo saiu na cara de Wanderson, mas foi travado pela zaga na hora do chute. A resposta do Bruscão veio na sequência e foi mais perigosa. No contra-ataque, Eydison ganhou na corrida de Galatto, mas, sem ângulo, não conseguiu colocar dentro das redes. 
Ele acionou Gilton que vinha de trás, mas o lateral chutou em cima da marcação. Nos minutos seguintes, o time esboçou pressão em cima do Tigre, mas parou em Galatto. O goleiro fez boas intervenções nos chutes de Eydison e Aldair.
O Criciúma só chegou próximo aos 10 minutos. Paulo Baier meteu uma pancada de fora da área, mas Wanderson se esticou todo e fez boa defesa. Aos 25 minutos, Eydison perdeu uma chance incrível. Gilton encontrou o camisa 9 sozinho dentro da área, mas o jogador cabeceou mal e mandou para fora a principal chance da segunda etapa.
A ineficiência quadricolor foi fatal. Sete minutos depois, Paulo Baier fez falta de ataque em disputa com Eurico dentro da área. O juiz viu apenas um agarrão do defensor brusquense e marcou pênalti para o Criciúma. O próprio maestro foi para a cobrança e deixou o Tigre na frente.
Mesmo em desvantagem, o Brusque continuou melhor, e também se dando ao luxo de perder gols. A grande chance do empate veio aos 48 minutos, já nos acréscimos da partida. Eydison tocou para Aldair dentro da área, mas faltou tranquilidade ao atleta, que, sozinho, tocou fraco, em cima de Galatto, que garantiu os três pontos à equipe do Sul do Estado
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio