Brusque é multado em R$ 10 mil pelo STJD por jogo com falha na iluminação

Determinação também interdita Augusto Bauer para jogos noturnos; diretoria quadricolor vai recorrer

Brusque é multado em R$ 10 mil pelo STJD por jogo com falha na iluminação

Determinação também interdita Augusto Bauer para jogos noturnos; diretoria quadricolor vai recorrer

 

O confronto entre Brusque e Ceará pela Copa do Brasil encerrou por volta da 1h do dia 9 de fevereiro, mas o quadricolor ainda sofre as consequências da partida. Não bastasse a derrota e desclassificação, a falha na iluminação em um poste do Augusto Bauer, que atrasou o jogo em mais de uma hora, resultou na aplicação de multa no valor de R$ 10 mil ao quadricolor.

A decisão foi tomada pela maioria dos auditores do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na última segunda-feira, 26. Além disso, o Gigantinho, que pertence ao Clube Atlético Carlos Renaux, não poderá mais sediar jogos à noite enquanto não for apresentado um laudo de vistoria por parte dos órgãos competentes comprovando que os refletores que não acenderam no dia da partida estão em plenas condições. Isso vale para qualquer partida do futebol profissional, seja nacional ou estadual.

Contudo, os refletores em questão já foram consertados. Tanto é que o estádio já recebeu uma partida oficial realizada sem maiores problemas, entre Brusque e Avaí, no dia 15 de fevereiro. A diretoria do Carlos Renaux se encarregou de contratar empresa que já providenciou o laudo em questão, e o documento será encaminhado para o STJD até a próxima sexta-feira, 2.

Clube entrará com recurso
O departamento jurídico do Bruscão não concorda com o valor da multa, e já está trabalhando no recurso que deve ser enviado também, conforme explica o presidente Danilo Rezini. “Dialogamos junto com o próprio presidente do Carlos Renaux (Renato Petruschky, o Tato) e optamos em conjunto para entrar com este recurso. Vamos tentar eliminar a multa, ou pelo menos reduzir o valor”.

A decisão foi tomada com base no artigo 211 do Código Brasileiro de Justíça Desportiva (CBJD), que trata de falta de infraestrutura para disputas de partidas oficiais. Segundo Rezini, o recurso fará com que o Brusque não precise pagar os R$ 10 mil no prazo de sete dias, como exige a multa.

Diretoria repudia ação de ‘fakes’ nas redes sociais
No início da semana, o Brusque divulgou nota oficial de repúdio a perfis falsos nas redes sociais que difamam e levantam acusações a membros da diretoria do clube. Agora o departamento jurídico do clube trabalha para monitorar os destinatários destas mensagens e processar envolvidos.

“Nós aceitamos as críticas a respeito do time, que não vai bem no campeonato, mas difamação vindo de pessoas covardes, que escondem a identidade, não são bem-vindas”, Danilo Rezini, presidente do Brusque

Segundo o presidente, a diretoria não irá tolerar este tipo de atitude. “Ficamos surpresos com estes procedimentos. Nós aceitamos as críticas a respeito do time, que não vai bem no campeonato, mas difamação vindo de pessoas covardes, que escondem a identidade, não são bem-vindas”.

Rezini, que sofreu ataques pessoais dos perfis, revelou profunda indignação. “Eu tenho 63 anos, nasci, cresci e constituí família aqui. Fui vice-presidente da Apae, vereador de Brusque, sendo duas vezes presidente da Câmara, além de ter sido Secretário de Desenvolvimento e estou há 10 anos a frente do Brusque. Não tolero ter minha índole questionada por uma meia dúzia de pessoas que não têm coragem para me acusar cara a cara”.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio