Brusque tem maior número de mortes no trânsito dos últimos cinco anos

Maior parte dos 23 acidentes fatais de 2017 aconteceu em fins de semana, envolvendo motos conduzidas por homens

Brusque tem maior número de mortes no trânsito dos últimos cinco anos

Maior parte dos 23 acidentes fatais de 2017 aconteceu em fins de semana, envolvendo motos conduzidas por homens

Jefferson Hyrco, de 27 anos, foi a 23ª pessoa que morreu no trânsito de Brusque em 2017. Ele havia perdido o controle do seu veículo na avenida Bepe Roza, e Beira Rio, e caiu no rio Itajaí-Mirim, na noite de 23 de dezembro. Testemunhas ainda tentaram resgatá-lo, mas a correnteza impediu o salvamento. O corpo de Hyrco foi encontrado no dia seguinte pelo Corpo de Bombeiros.

As 23 mortes superaram as 22 registradas em 2014, e se tornaram um recorde negativo dos últimos cinco anos. O ano de 2013 teve apenas 15 óbitos, e permanece um recorde positivo dos últimos dez anos. Foram 18 mortes em 2015 e 20 em 2016. Veja detalhes no mapa abaixo.

Assim como em 2016, os homens seguem morrendo mais nas ruas e estradas brusquenses. Foram 19 homens e quatro mulheres em 2017, enquanto que 16 homens e duas mulheres morreram no ano anterior. O maior número de mortes segue sendo de motociclistas.

Por causa da grande distribuição de acidentes fatais pela cidade – as 23 mortes ocorreram em 15 bairros -, não é possível definir com exatidão algum ponto mais perigoso. Apenas cinco ocorreram em rodovias fora da área urbana do município.

“O número de mortes em Brusque é sempre muito elevado para o tamanho da cidade. Já começa pelo fato de ser um dos municípios com mais carros por habitantes no país. A maioria das mortes é relacionada a imprudência de algum dos motoristas envolvidos, seja não usando cinto de segurança, seja por embriaguez”, explica Heintje Heerdt, major da Polícia Militar responsável pelo comando do 18º Batalhão. “É uma das cidades mais seguras do país em termos de homicídios. Se as mortes no trânsito fossem incluídas, acho que perderíamos este título facilmente”.

O supervisor operacional da Guarda de Trânsito de Brusque (GTB), Éder Carlos Becker, reitera que o desrespeito no trânsito segue sendo a principal causa. Ele avalia que ruas em situação crítica e condições climáticas ficam em segundo plano, pois as mortes foram distribuídas pela cidade.

Para Heerdt, apenas o envolvimento da sociedade nesta causa pode melhorar estes índices para 2018. Ele também lamenta a força da publicidade das bebidas alcoólicas frente às campanhas de conscientização. “Não temos como fazer um investimento em campanhas no ano todo, são pontuais, como o Maio Amarelo ou a Semana Nacional do Trânsito. Ao mesmo tempo, temos publicidade de bebidas alcoólicas o tempo todo, por exemplo”.

Para evitar que as mortes no trânsito continuem a aumentar, a GTB também possui iniciativas de conscientização em escolas, autoescolas e empresas. “Só em 2017 realizamos mais de 100 palestras em empresas e autoescolas, fora as escolas das redes pública e privada”, aponta Becker.

Navegue pelo mapa abaixo clicando nos marcadores. Cada um dos pontos representa um dos acidentes fatais.

Guabiruba

3 mortes em 2017

Jaison Marcondes Botamedi
35 anos
28 de janeiro, sábado à tarde
Motocicleta
Rua Holstein
São Pedro
Ele colidiu contra a cabeceira de uma ponte após ter perdido o controle da motocicleta.

Edison Abílio
34 anos
7 de maio, domingo de madrugada
Motocicleta
Rua Guabiruba Sul
Guabiruba Sul
Abílio colidiu contra o muro de uma residência. Não houve testemunhas.

Carlos Eduardo Moreira Raitz
18 anos
13 de novembro, segunda-feira à tarde
Motocicleta
Rua Holstein
São Pedro
O motociclista chocou-se com um poste.

 

Botuverá

1 morte em 2017

Odair José Schmaia
39 anos
6 de fevereiro, segunda-feira à tarde
Motocicleta
Rodovia Pedro Merízio
Águas Negras
Botuverá
O motociclista colidiu seu veículo contra um barranco na margem da rodovia.

Rodovias 

Nas rodovias que ligam Brusque a outras cidades, foram registradas 17 mortes. Cinco delas ocorreram dentro do perímetro de Brusque, e já estão contabilizadas na lista dos 23 óbitos do município. Destaque para a Rodovia Antônio Heil, onde cinco das seis mortes ocorreram no trecho pertencente a Itajaí, que é maior e ainda está em obras de duplicação.

Rodovia Antônio Heil: 6
Brusque: 1
Itajaí: 5

Rodovia Pedro Merízio: 2
Brusque: 1
Botuverá: 1

Rodovia Ivo Silveira: 2
Brusque: 1
Gaspar: 1

Rodovia Gentil Battisti Archer: 7
Brusque: 2
Nova Trento: 5

Óbitos ocorridos em trechos das rodovias localizados em Brusque, Guabiruba e Botuverá já estão relatados no mapa.

Rodovia Antônio Heil

Rogério Machado
45 anos
15 de janeiro, domingo à noite
Carro
Rodovia Antônio Heil
Próximo à curva da morte
Itajaí
Acidente com batida lateral

José Carlos Montibeller
46 anos
16 de fevereiro, quinta-feira à tarde
Carro
Rodovia Antônio Heil
Próximo à curva da morte
Itajaí
A motorista de um Kia Sportage estava vindo no sentido Itajaí a Brusque, quando cochilou no volante e invadiu a pista contrária, atingindo em cheio o veículo em que estava a vítima.

Luiz Balduíno Augusto
45 anos
6 de maio, sábado à tarde
Motocicleta
Rodovia Antônio Heil
Brilhante
Itajaí
O motociclista bateu na lateral de um caminhão. Um ônibus também se envolveu no acidente.

Marcus Vinícius Ramos
24 anos
28 de agosto, segunda-feira de manhã
Motocicleta
Rodovia Antônio Heil
Limoeiro
Itajaí
O motociclista perdeu o controle do veículo e saiu da pista.

Ney Ido Weber
37 anos
9 de setembro, sexta-feira à noite
Motocicleta
Rodovia Antônio Heil
km 12
Itajaí
Weber bateu com a sua motocicleta em uma placa de sinalização fixada com concreto, sendo arremessado a cerca de 20 metros.

Rodovia Ivo Silveira

Lucas de Souza
20 anos
8 de julho, sábado de manhã
Motocicleta
Rodovia Ivo Silveira
Gaspar
Após perder o controle da motocicleta, a vítima colidiu de frente com uma Ford Ecosport.

Rodovia Gentil Battisti Archer

João Pedro Farias
22 anos
26 de agosto, sábado de manhã
Carro
Rodovia Gentil Battisti Archer
Claraíba
Nova Trento
Um Uno com placas de São João Batista, conduzido por João Pedro Farias, e um Onix com placas de Brusque bateram de frente. Outras três pessoas que estavam no Uno morreram.

Kamylla Teixeira
17 anos
26 de agosto, sábado de manhã
Carro
Rodovia Gentil Battisti Archer
Claraíba
Nova Trento

Davison dos Santos Ribeiro
21 anos
26 de agosto, sábado de manhã
Carro
Rodovia Gentil Battisti Archer
Claraíba
Nova Trento

Gabriel de Lima Vieira
18 anos
26 de agosto, sábado de manhã
Carro
Rodovia Gentil Battisti Archer
Claraíba
Nova Trento

Dionata da Cruz Monteiro
24 anos
24 de novembro, sexta-feira de manhã
Motocicleta
Rodovia Gentil Batisti Archer
Claraíba
Nova Trento
A motocicleta colidiu na lateral esquerda de um veículo GM Meriva Maxx. Dionata morreu na hora.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio