Brusque vence Remo e enfrentará o Corinthians pela Copa do Brasil

Em jogo de tirar o fôlego com direito a pênalti perdido, quadricolor faz história ao vencer por 2 a 1

Brusque vence Remo e enfrentará o Corinthians pela Copa do Brasil

Em jogo de tirar o fôlego com direito a pênalti perdido, quadricolor faz história ao vencer por 2 a 1

O Bruscão novamente fez história na noite dessa quinta-feira, 16, ao eliminar o Remo pela Copa do Brasil A vitória por 2 a 1 classificou pela primeira vez o Quadricolor do Vale para a segunda fase da competição nacional, e enfrentará o Corinthians na etapa. A princípio, a CBF reservou a data de 1 de março para a partida, mas não há confirmação de local e data.

Tempo de um time só

O Remo teve apenas lampejos na primeira etapa, enquanto o Brusque mandou na partida. Durante os primeiros 30 minutos, o time adversário sequer conseguiu tocar na bola. As tentativas com Edgar e Val Barreto isolados não eram páreo para a defesa quadricolor.

Tanta tentativa resultou no gol do Bruscão, que fez o Augusto Bauer tremer. Em bela jogada pela direita – aliás, o setor que mais trabalhou no Bruscão em todo o primeiro tempo -, Assis lançou Carlos Alberto que deu passe para trás com categoria e achou Belusso. O camisa 11 chegou de chapa na bola tocando para as redes.
A partir daí, o Remo foi para cima. Logo Josué Teixeira fez uma troca que deu mais agilidade ao time visitante, apostando em Jayme. No primeiro lance ele achou Tsunami que acertou um pataço na trave. A pressão remista continuou até que um golaço fez explodir a ala de visitantes do Gigantinho. Em uma falta frontal, Zé Antônio acertou o canto e anotou o gol do empate.

O lance que poderia ser a virada ainda no primeiro tempo foi desperdiçada por um atleta que não fez boa partida. O Brusque ganhou pênalti depois da finalização de Carlos Albeto com toque de mão de Tsunami, embora o atleta estivesse com a mão colada ao corpo. O camisa 10 cobrou mal e André Luis voou nela. O primeiro tempo encerrou na sequência.

Gigantinho treme

A torcida que agitou o tempo todo novamente embalou a equipe quadricolor para a vitória. O gol foi suado, chorado, mas depois de muita pressão do time mais organizado durante toda a partida, ele aconteceu. Aos 12 minutos, em bela trama e bola infiltrada, ela foi tocada com açucar para Ricardo Lobo, oportunista, cutucar para o fundo do gol.

O Remo pressionou muito pelo empate, o que classificaria o time paraense devido ao melhor ranqueamento. Teve bola na trave, falhas de Rodolpho e muito sufoco para a massa brusquense. Mas a partir dos 30 minutos o Brusque soube se reorganizar e aplicar contra-ataques. Faltava concluir em gol, mas por sorte não foi necessário. Depois de cinco minutos de acréscimos cumpridos, finalmente o Bruscão pode soltar o grito entalado há anos na garganta.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio