Brusquenses podem apresentar sugestões no projeto que oficializa bairros

Com o novo mapa, o município passará a contar com 31 bairros, já que hoje apenas cinco são oficiais

Brusquenses podem apresentar sugestões no projeto que oficializa bairros

Com o novo mapa, o município passará a contar com 31 bairros, já que hoje apenas cinco são oficiais

O Instituto Brusquense de Planejamento (Ibplan) apresentou na semana passada o novo projeto para a divisão de bairros em Brusque. Os novos limites já foram definidos e agora a equipe se concentra nos detalhes para poder levar o novo mapa do município à consulta popular e, posteriormente, submeter à aprovação da Câmara de Vereadores e oficializá-lo.

Com o novo mapa, o município passará a contar com 31 bairros, já que hoje apenas cinco são oficiais: Santa Terezinha, Santa Rita, São Luiz, Guarani e Jardim Maluche. A modificação oficializa agora as comunidades de Águas Claras, Azambuja, Bateas, Cedrinho, Centro, Centro II, Cerâmica Reis, Dom Joaquim, Fazenda, Limeira Baixa, Limoeiro, Nova Brasília, Paquetá, Planalto, Poço Fundo, Ponta Russa, Primeiro de Maio, Rio Branco, Santa Luzia, São João, São Pedro, Souza Cruz, Steffen, Tomaz Coelho,Volta Grande e Zantão.

De acordo com um dos responsáveis pelo estudo, o arquiteto e urbanista Valério Kosel, as alterações nos limites dos bairros foram mínimas. “Procuramos agregar o máximo de comunidades existentes e traçar a divisão de forma fácil e que possa se visualizar, como por exemplo, através de ruas, rios, e quando não foi possível, utilizamos os topos dos morros”, explica.

O diretor-presidente do Ibplan, Laureci Serpa Júnior, ressalta que as características das localidades foram preservadas. “A ideia era não mudar os nomes populares, apenas oficializar para não perder essa questão cultural e histórica”.

Todo o estudo foi desenvolvido em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que vai fornecer os dados de cada rua do município para que Brusque possa ter um mapa geopolítico com dados sociais por localidade. “O IBGE é um grande parceiro neste trabalho. Eles trabalham com setores censitários, tentamos adequar ao máximo, o que não deu, eles vão padronizar com base no nosso novo mapa. Eles também tem interesse em abrir dados para formarmos índices completos do município”, destaca Serpa Júnior.

De acordo com o arquiteto e urbanista Ricardo Laube Moritz, com o novo desenho, a prefeitura poderá planejar melhor as ações do município. “É muito importante esse trabalho para conhecermos onde e como Brusque cresce, assim poderemos planejar melhor as nossas ações”.
Historicamente, o bairro Santa Terezinha era considerado o maior bairro em extensão do município porque o IBGE em seus estudos considerava territórios de outras comunidades como pertencentes ao Santa Terezinha. “No território do Santa Terezinha o IBGE agregava o Nova Brasília, Planalto, Santa Rita, Limoeiro. Agora, nós definimos bem o ponto de limite e a área do bairro ficou em 1.78 km². Agora, o maior bairro de Brusque em extensão será o Limeira Baixa, com 22.08 km²”.

O novo mapa também definiu três localidades rurais no município: Localidade rural de Cedro Grande, Cristalina e Limeira Alta. “Para ser considerada uma localidade rural é preciso que naquela área tenha alguma atividade rural. Em Brusque esse número é baixo. A maior área é o do Cedro Grande, com 44,49 km² de extensão”, ressalta Moritz.

O Ibplan pretende, em breve, divulgar o novo perímetro urbano do município. “Estamos definindo essa parte do estudo e logo poderemos divulgar. Já aprovamos também no ConCidade a revisão do plano diretor de Brusque. Queremos trabalhar em um modelo totalmente novo do que este que está aí”, diz Serpa Júnior.
Loteamentos irregulares

Com a definição dos novos bairros e após o serviço de geoprocessamento do município, o problema de loteamentos irregulares deve ser solucionado. “Com esse geoprocessamento, vamos ter certeza onde estarão todas as casas e teremos matrícula por matrícula de todos os imóveis no computador. Não vai ter como abrir uma nova rua, só se houver omissão, não vai conseguir abrir uma nova matrícula e engessa. Agora definimos o bairro, falta o voo para o geoprocessamento e o levantamento cadastral”, explica Serpa Júnior.
Consulta popular

Todas as associações de moradores do município receberam a nova proposta com o mapa da cidade, e até o fim de novembro, os membros de cada associação poderão se manifestar e enviar sugestões para melhorar o processo. O novo mapa de Brusque também será discutido em audiência pública que deverá acontecer no início do ano que vem. Em seguida, o projeto irá para a Câmara de Vereadores e, se aprovado, será oficializado. “Todos os brusquenses podem ter acesso ao projeto pelo site do Ibplan e dar a sua opinião. A nossa intenção é levar o projeto todo fechado, já com todas as alterações para a audiência pública e encaminhar o mais rápido para a Câmara de Vereadores”.

Os documentos podem ser acessados pelo www.brusque.sc.gov.br/ibplan durante todo o mês de novembro e as sugestões de alteração devem ser encaminhadas à diretoria da Associação de Moradores de cada localidade ou diretamente ao Ibplan através do e-mail ibplam@brusque.sc.gov.br.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio