Campanha da Fraternidade propõe reflexão sobre o bioma e a defesa da vida

Durante a Quaresma, grupos de novenas se reúnem para refletir o tema

Campanha da Fraternidade propõe reflexão sobre o bioma e a defesa da vida

Durante a Quaresma, grupos de novenas se reúnem para refletir o tema

A cada ano, a Campanha da Fraternidade debate um tema diferente e propõe uma reflexão sobre a realidade do Brasil. Em 2017, com o objetivo de despertar, educar e conscientizar a comunidade, a campanha se intitula “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”.

A campanha, organizada pela Igreja Católica, é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O padre Francisco de Assis Wloch, reitor do Santuário de Azambuja, trabalhou durante muitos anos como secretário-executivo da campanha na CNBB e conta que a igreja busca apresentar temáticas que criem consciência permanente nas pessoas. Segundo ele, são enviadas sugestões de religiosos de todo o país, e após votação da conferência, o tema é escolhido.

Não é a primeira vez que este conteúdo é abordado na campanha. Pelo menos dez vezes houve assuntos correlacionados à natureza brasileira. Além disso, o padre diz que o próprio papa Francisco emitiu uma carta em que falava das belezas brasileiras, porém, acentuava a sua degradação. “O criador foi pródigo com o Brasil. Concedeu-lhe uma diversidade de biomas que lhe confere extraordinária beleza. Mas, infelizmente, os sinais da agressão à criação e da degradação da natureza também estão presentes”, afirmou o papa, por meio de carta.

O reitor do santuário lembra, no entanto, que a campanha não fala apenas dos biomas, e sim da defesa da vida. No entanto, os dois conteúdos estão intimamente ligados. “Se não cuidarmos do meio ambiente, da natureza, não poderemos sobreviver. Precisamos de condições para que a vida humana se mantenha”, diz o padre, que destaca: “ E é isso que a igreja nos pede, que olhemos cada região do país, que tem características diferentes, mas mesmo assim forma esse bioma harmonioso”.

Grupos bíblicos
Durante a campanha, grupos de estudo bíblico se reúnem para refletir o tema. Ao fim deste período, há uma coleta financeira que é destinada a entidades e projetos ligados ao conteúdo. “É uma responsabilidade de todos pelo mundo, de promover relações fraternas. Muitas ações da igreja e pastorais, como a da Criança, surgiram por meio da Campanha da Fraternidade”, salienta o padre.

Atualmente, o Santuário de Azambuja possui 26 grupos que se reúnem durante a Quaresma para realizar o estudo bíblico, também chamado de novena. Por meio de um livro da CNBB, que oferece subsídios aos fiéis, cerca de oito famílias do grupo coordenado por Zulmira Censati se encontram semanalmente para um momento de oração, debate e estudo bíblico.

As famílias da comunidade do Cedrinho, que pertencem ao santuário, consideram o momento importante para a caminhada religiosa, segundo Zulmira. “O tema nos faz refletir e nos aproxima de Deus, já que temos momentos de muita oração e manuseio da bíblia”. A novena dos grupos encerra na Sexta-feira Santa, quando acontece a Via Sacra por algumas ruas de Brusque com destino ao santuário.

Campanha
Criada em 1962, a Campanha da Fraternidade é lançada todo ano na Quarta-feira de Cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias no qual a Igreja Católica convida os fiéis a praticar a oração e o jejum. A ação vai até o domingo de Ramos, no dia 9 de abril.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio