Casal tenta reconstruir a vida após incêndio

Após ter a casa destruída pelas chamas, idosos contam com a ajuda dos brusquenses para recomeçar

Casal tenta reconstruir a vida após incêndio

Após ter a casa destruída pelas chamas, idosos contam com a ajuda dos brusquenses para recomeçar

De uma hora para outra, a vida do casal Bento e Maria Reis, 74 e 70 anos, respectivamente, mudou completamente. Moradores da rua Antônio Marchi, no bairro Azambuja, eles foram pegos de surpresa pelas chamas que consumiram a casa de alvenaria em que viviam há 43 anos.

O incêndio – que ainda não teve as causas confirmadas pelo Corpo de Bombeiros – aconteceu na manhã do dia 10 de abril. Nada pode ser salvo, e ao casal restou apenas as roupas do corpo. “O fogo levou tudo, fiquei na rua. O que construí em 60 anos, em menos de 30 minutos foi tudo embora”, diz Bento.

Passados quase 15 dias do incêndio, aos poucos, o casal de idosos tenta reconstruir a vida. Por enquanto, eles estão morando na parte de baixo da casa de um dos vizinhos. A vontade, porém, é refazer a vida no próprio terreno que abrigava a antiga casa. No entanto, é preciso aguardar os laudos do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. “Esperamos o laudo para saber o que aconteceu e se podemos reconstruir a casa no mesmo terreno”, afirma o aposentado.

Neste momento difícil, o casal se emociona com as demonstrações de solidariedade dos brusquenses. Desde o dia do incêndio, Bento e Maria recebem, diariamente, doações de móveis, roupas, alimentos e material de construção, que irão ajudá-los a reconstruir a vida. “O povo é muito bom. Tudo o que puder nos ajudar é muito bem-vindo. Minhas economias que eu guardava em casa também ficaram no incêndio. Necessitamos de tudo”, declara.

Vendo a situação imposta aos avós, Emanuelle Reis, 20 anos, decidiu se mobilizar. Ela é a idealizadora da vaquinha online que tem como objetivo arrecadar recursos para auxiliar na reconstrução da vida dos avós. “Eu sou amiga de uma voluntária da Acapra, e ela comentou que desta maneira a associação conseguiu arrecadar R$ 10 mil. Achei a ideia muito boa, e decidi fazer algo semelhante para ajudar meus avós”, diz.

Segundo ela, por oferecer opções de pagamento – boleto bancário ou cartão de crédito -, este se tornou um jeito prático de ajudar. Até ontem, a vaquinha online havia arrecadado R$ 435, e ainda há R$ 1.245 pendentes – que escolheram o valor da doação, mas ainda não efetuaram o pagamento. “A meta é arrecadar R$ 10 mil até o mês de outubro. Acredito que vamos conseguir, a contribuição está boa”, destaca.

“Mais um minuto e eu teria morrido”

O dia do incêndio começou como qualquer outro na vida do casal. Às 9h20, Bento saiu de casa para trabalhar – há 25 anos ele vendia suco natural pelas ruas de Brusque – e Maria ficou em casa. A aposentada fez as suas tarefas em casa, e minutos depois saiu em direção à casa da vizinha para levar um pedaço de bolo. Quando Maria chegou no portão da casa vizinha, ouviu estalos fortes, olhou para sua casa e já viu as chamas altas. “Não tinha nada ligado. O botijão de gás também estava desligado, e fica fora de casa”, afirma Bento.

“Minutos antes eu estava na parte de cima da casa, onde foi feito uma casinha pra eu estender as roupas. Foi só o tempo de eu sair, mais um minuto lá eu teria morrido”, lembra Maria.
Enquanto tudo acontecia, o filho do casal foi atrás do pai para contar o que estava acontecendo. “Eu já estava no Centro, meu filho me alcançou e disse pra eu voltar que a casa estava pegando fogo. Quando eu cheguei, estava tudo destruído”, lembra Bento.

Além da casa, o casal perdeu também uma de suas fontes de renda. “Perdi mais de 30 mil em polpa e suco. Os aparelhos que eu usava para fabricar os sucos, e os freezers também viraram cinza. Agora, além de não ter casa, não tenho trabalho, porque não tenho como comprar todos os equipamentos para trabalhar. Este ano acabou pra mim, sou obrigado a ficar parado, mas se Deus quis assim, vamos trabalhar para reconstruir”, diz.

Como ajudar?

Para contribuir com a vaquinha online criada por Emanuelle, basta entrar no site novo.vakinha.com.br, digitar “Recomeço da vida dos meus avós” no campo de busca, e fazer uma doação.

Quem quiser ajudar com móveis, roupas e materiais para construção pode entrar em contato pelo telefone 8404-1548, falar com Emanuelle, ou então entregar diretamente a doação na rua Nossa Senhora de Lourdes, 252, no bairro Azambuja.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio