Conteúdo exclusivo para assinantes

Casos de gravidez psicológica em cadelas são comuns nas veterinárias de Brusque

Alteração hormonal é responsável pela doença, que pode ser tratada com castração ou medicação

Casos de gravidez psicológica em cadelas são comuns nas veterinárias de Brusque

Alteração hormonal é responsável pela doença, que pode ser tratada com castração ou medicação

Relativamente comum nas clínicas veterinárias de Brusque, casos de gravidez psicológica em cadelas ocorrem devido a uma alteração hormonal, entre um mês e meio e três meses e meio após o cio.

A doença, que pode ser tratada com medicação ou com castração, não chega a ser considerada grave, no entanto, pode desencadear outras complicações, principalmente relacionadas à infecção no útero.

O veterinário José Antonio Gesser Junior, da Zeca Clínica Veterinária, explica que a cadela com gravidez psicológica entende que está prenha e demonstra sinais pertinentes a uma gestação, como adotar objetos como se fossem seu filho, fazer ninho, aumento das glândulas mamárias e produção de leite.

O veterinário da Mascote, Leonardo Bandeira, destaca que as fêmeas que não cruzaram com macho têm o mesmo nível hormonal das que cruzaram, porém, nas que cruzam ocorre uma alteração hormonal que dá continuidade à gestação, e nas que não cruzaram, devido ao desequilíbrio na progesterona, a gestação não é levada adiante.

A gravidez psicológica, que também é conhecida como pseudogestação ou pseudociese, pode ocorrer a partir do primeiro cio do animal, segundo Gesser Junior. Por sua vez, Bandeira diz que os casos mais comuns são em cadelas adultas, acima de cinco anos.

O veterinário da Mascote ainda explica que as cadelas tendem a ficar mais isoladas, lamber o abdômen e algumas apresentam, inclusive, comportamento agressivo.

Na Zeca, são comuns estes tipos de casos, no entanto, não chega-se a ter registros semanais.

Já na Cãopanheiro, segundo a veterinária Thaís Araldi, no segundo semestre de 2017 foram atendidos cerca de quatro cadelas com a doença. Já na Mascote, o veterinário informou que a alteração é bastante comum e que são realizados atendimentos frequentes no local.

Tratamento
Assim que o animal apresentar estes sintomas o ideal é que o dono leve-o numa clínica veterinária para exames clínicos. Thaís e Gesser Junior recomendam a castração como forma de tratar e resolver definitivamente a doença, já que serão retirados o útero e os ovários, não tendo o risco de uma nova gravidez.

Paliativamente também é possível fazer o tratamento a base de medicamentos para controlar a lactose, no entanto, geralmente a cadela novamente terá outra gravidez psicológica.

Thaís sugere de antemão a castração antes dos seis meses para evitar qualquer tipo de complicação. A doença não leva ao óbito, mas pode desencadear infecções no útero, que aí sim, levará à morte.

Bandeira sugere tratamento com remédios via oral de 12 em 12 horas, por dez dias, para cortar os sintomas da gravidez psicológica.

Prevenção
A castração das fêmeas é uma das maneiras mais populares para se evitar a gravidez psicológica em cadelas, já que evita a produção dos hormônios ligados à gestação e diminui as chances do aparecimento do quadro.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio