Conteúdo exclusivo para assinantes

Comissão dá aval para benefícios para sete empresas de Brusque

Quatro delas estão à espera de doação de terrenos por parte da prefeitura

Comissão dá aval para benefícios para sete empresas de Brusque

Quatro delas estão à espera de doação de terrenos por parte da prefeitura

A comissão que analisa pedidos de benefícios econômicos e fiscais deu aval às solicitações de sete empresas de Brusque em reunião realizada na semana passada. Do total de sete, três são para isenção fiscal e quatro para o recebimento de doação de terras.

O diretor de Desenvolvimento Econômico, Alois Diegoli, explica que a comissão não tem poder de veto. Em outras palavras, mesmo que as entidades decidam contra uma concessão de benefício, a prefeitura tem o direito e o poder de determinar à revelia.

Contudo, segundo Diegoli, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico costuma acatar as análises da comissão por tradição e para evitar problemas de ordem jurídica. O grupo verifica qual é o porte da empresa, quais são suas intenções e outras informações que embasem a sua solicitação.

A comissão é formada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Secretaria da Fazenda, Procuradoria, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Centro Universitário de Brusque (Unifebe), Associação Empresarial de Brusque (Acibr) e por sindicatos.

Segundo o diretor da pasta, foram feitas oito solicitações por benefícios. Quatro foram por benefícios fiscais, que nada mais é do que o desconto em tributos municipais.

Foram apresentadas quatro solicitações por benefício econômico, que é a doação de terrenos para a instalação de parques fabris. No entanto, segundo Diegoli, apenas três foram acatadas com ressalvas.

Uma das empresas que pediram o benefício econômico não apresentou documentos na parte contábil e ambiental a contento, segundo avaliou a comissão, por isso foi recusada.

“Todas as empresas são de Brusque e pediram os benefícios para ampliar a sua capacidade de produção”, diz Diegoli. De acordo com ele, todas as companhias são de médio ou grande porte.

As empresas que pediram terreno terão de aguardar. A prefeitura faz levantamento neste momento sobre as áreas públicas ainda disponíveis na área industrial no bairro Limeira.

Já no caso das companhias que solicitaram apenas os benefícios fiscais falta apenas o decreto municipal a ser editado pelo prefeito Jonas Paegle. Ainda não existe uma data para que isso aconteça. Os nomes das empresas ainda não foram divulgados.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, João Beuting, diz que os benefícios econômicos e fiscais são instrumento importante e que continuarão.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio