Dia de cair na água

Atletas da natação estão entre as principais esperanças de medalhas de Brusque na competição

Dia de cair na água

Atletas da natação estão entre as principais esperanças de medalhas de Brusque na competição

Os atletas da Associação Brusquense de Amigos Incentivadores da Natação (Abain) estão trabalhando intensamente desde janeiro com o foco nos Joguinhos Abertos de Santa Catarina. A competição teve início no último sábado, 26, em Caçador, mas a natação só terá provas a partir desta quarta-feira, 30.

O objetivo de tanto empenho é melhorar os números de Brusque na modalidade, em comparação com os Joguinhos do ano passado. No ranking geral, a natação feminina brusquense ficou em 10º lugar, e a masculina em 8º. Mas, pelos tempos obtidos pelos atletas nos treinos, o técnico José Armando Vasquez Soto, o Bay, espera melhores resultados de seus comandados. Ele projeta uma melhora significativa no desempenho. “Este ano é para ficar entre os três primeiros”, crava.

A Abain/FME levará às piscinas de Caçador, nesta quarta, os mesmos atletas que foram campeões da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) de 2012. Serão 14 nadadores com idades entre 14 e 17 anos. O evento também testará o resultado da união entre a Associação de Pais dos Nadadores de Brusque (APNB) e a Abain, realizada este ano com a extinção da APNB.

Foco na competição

Os Joguinhos Abertos de Santa Catarina são a principal disputa do ano para os nadadores brusquenses. Uma meta particular traçado por Bay era aproveitar competições de menor apelo para preparar os atletas justamente para esta disputa. Desde janeiro a delegação brusquense treina duas horas por dia, de segunda a sexta-feira. Engane-se quem pensa que os exercícios se limitam às piscinas. Dos cinco dias de treinamento, três são destinados à aprimorar a resistência muscular. Aí entra o trabalho do professor Geovane Vieira Dutra, que orienta as atividades fora da água, como musculação e aeróbica. Dutra diz estar impressionado com a dedicação dos nadadores. “Nessa idade, período da adolescência, é comum haver uma displicência, principalmente na alimentação. É incrível como os nadadores se cuidam. Todos têm a noção do que é preciso para irem bem nas provas”. Os atletas nadam em estilos diferentes, como borboleta, crawl, e peito. De acordo com Bay, as atividades dependem de cada caso específico. Devido ao ritmo intenso de treinos desde o início do ano, os atletas ganharam uma certa folga da comissão técnica para os Joguinhos. “Eles passaram por meses de treinos pesados. Nas últimas semanas, pegamos mais leve para que houvesse um descanso maior. Esperamos que assim todos possam estar descansados para as provas”, explica.

Nadando entre amigos
Além de atletas da mesma equipe, os nadadores da Abain são amigos, como explica Rafael Souza, que vai competir nos Joguinhos. “Somos parceiros, e muitos aqui estudam juntos. Isso é positivo, porque temos a liberdade de cobrarmos um do outro”. Souza vai competir com outros três colegas no revezamento 4×100 medley, disputa na qual cada nadador realiza um estilo diferente.
As meninas da equipe brusquense tem pressão ainda maior por melhores resultados. No ano passado, o município figurou apenas na 10ª colocação dos Joguinhos neste naipe. Se depender do empenho da nadadora Maria Luiza Baron, este ano, os resultados serão mais satisfatórios. “Estamos muito focadas no treino e levando a sério cada exercício. Tudo isto pra fazer deste ‘o ano’ de Brusque na natação feminina dos Joguinhos Abertos”. Maria Luiza também aproveitou para destacar o trabalho realizado por Bay . “Temos um técnico que nos motiva muito. Isso nos deixa mais confiantes”.

“Contratações desleais”
A Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), organizadora dos Joguinhos Abertos, permite que equipes de quaisquer modalidades contratem atletas que não morem no município que eles representam. Bay ressalta que, muitas vezes, estes competidores vêm até mesmo de fora do estado. Com um trabalho voltado para a base na cidade, ele comenta que esse é mais um desafio. Lamenta que este tipo de situação tire o equilíbrio entre os atletas, mas diz que ainda assim confia numa boa participação em Caçador. “Muitas delegações trazem competidores de extrema qualidade vindos de outros estados. São contratações desleais. Mesmo assim, acredito nos meus nadadores e no trabalho realizado aqui em Brusque”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio