Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Dinheiro do FGTS some da conta de contribuinte

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Dinheiro do FGTS some da conta de contribuinte

Raul Sartori

Há cerca de cinco anos, ao fazer, na Caixa Econômica Federal, levantamento de possível depósito de FGTS, familiar deste espaço foi informado da existência de pouco mais de R$ 300, mas que não poderiam ser sacados na época. O mesmo familiar voltou à CEF e encontrou lá apenas R$ 100,06. Mais de R$ 200 sumiram. Como saber o que houve? O funcionário não soube responder. Socorro!


Tirando lasca
Vários deputados federais gaúchos, de oposição, liderados por Ivan Valente (PT), se articulam para criar a CPI da Carne Fraca. Integrante da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária, o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) questiona a participação do Parlamento no assunto: “Pra que serve essa CPI? O que o Congresso pode fazer, além de levar para os holofotes pessoas que vão falar coisas que não conhecem?”. Tirando algumas exceções, tem razão.


No lume
Deve sair depois da metade do ano o livro “A descoberta do Brasil”, sobre a trajetória e a história do ex-senador tucano e depois petista Delcídio do Amaral. Se contar toda a verdade ao jornalista Cláudio Tognolli, que está escrevendo a obra, dirá que os tempos mais felizes de sua vida foram vividos quando morava e trabalhava em Florianópolis, como diretor da Eletrosul, vendo a mulher, Maika, se dando muito bem como lojista (que continua) em um shopping da cidade. Depois só foi infelicidade.


Grande família
Com tanto desemprego, pode ser que o senador Ivo Cassol (PP-RO) resolva acudir parentes de Concórdia em seu gabinete, no Congresso Nacional. Lá já estão dois primos e a mulher de um deles. O trio recebe R$ 58,2 mil mensais da indecorosa verba indenizatória, que é dinheiro público, evidentemente. Ele diz estar escudado por entendimento do Supremo Tribunal Federal de que a relação entre primos é classificada como de quarto grau. Pode ser, mas é imoral.


História política
O ex-senador, ex-governador de SC e ex-ministro Jorge Konder Bornhausen, ganhou generosas citações no badalado livro “Diários da Presidência”, o terceiro de uma série, que cobre os anos de 1999 e 2000, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Numa passagem ele conta que em várias oportunidades o então senador baiano Antônio Carlos Magalhães fazia oposição e que sua paciência com ele estava chegando ao fim. Foi quando chamou JKB, presidente do PFL, que lhe disse que quando achasse necessário o chamasse para que a fatura fosse liquidada, ou seja, que rompesse com ACM e que ele fosse expulso do partido. O que não ocorreu, porque o chamado “babalaô” baiano tinha diferentes faces, fazendo uso máximo da técnica fere e assopra.


Em casa
Depois da brilhante e elogiada passagem pelo gabinete do falecido ministro Teori Zavaski, no Supremo Tribunal Federal, onde não faltaram convites para ficar, o juiz catarinense Márcio Schiefler Fontes preferiu voltar à Tubarão e cuidar de assuntos típicos de Sucupira, a cidade fictícia do novelista Dias Gomes. Entre eles a recente eleição da mesa-diretora da Câmara de Vereadores.


Escola eleitoral
O desembargador Jaime Ramos é o novo diretor da Escola Judiciária Eleitoral de SC (Ejesc). Entre os principais projetos da 2017/2018 estão a formação política da criança e do adolescente, com palestras nas escolas, e a efetiva participação da mulher na política em SC.


Sinucas
Do seleto time de cima da crônica política isenta e honesta do Brasil, Ricardo Noblat anota que que só um expurgo político salvará o país diante de um governo refém do Congresso, que depende dele para aprovar reformas. Congresso que, por sua vez, é refém de delatores e que não merece a confiança de ninguém.


Nada e omissão
Não é só a Via Expressa, onde transitam 140 mil veículos por dia, entre as pontes de Florianópolis e a BR 101, que não tem um centavo de recursos do Orçamento da União para obras nesse ano. A portaria 633, de 29 de dezembro de 2016 e publicada no Diário Oficial da União de 30 de dezembro, torna “insubsistente a seleção” de várias propostas na área de mobilidade urbana, com recursos do mesmo OGU, “por não terem sido objeto de assinatura de termo de compromisso junto à União, pelos tomadores” (Prefeitura), até aquela data. Entre os projetos estão obras de atracadouros e corredores exclusivos para transporte público, elevadores, funiculares e terminais. Mais um dado para aumentar o desastre que foi a administração de Cesar Sousa Junior (PSD).


DETALHES

  • A OAB-SC promove nesta quarta-feira, às 17 horas, no seu auditório, em Florianópolis, oportuno debate público, aberto à comunidade, sobre a reforma da Previdência.
  • Que ninguém venha com a conversa de que a Lava Jato já provocou 740 mil demissões, 300 mil somente nas empreiteiras mais envolvidas na ladroagem da Petrobras. Perguntar não ofende: quantos bilhões essas empresas já causaram e vem causando a todos os brasileiros, roubando sem limites?
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio