Diretoria do Brusque tenta profissionalizar gestão e aumentar receita do clube

Quadricolor vive momento tumultuado nos bastidores na busca por patrocínio e com mudanças no estatuto

Diretoria do Brusque tenta profissionalizar gestão e aumentar receita do clube

Quadricolor vive momento tumultuado nos bastidores na busca por patrocínio e com mudanças no estatuto

O segundo semestre do Bruscão promete muitas emoções, dentro e fora de campo. Enquanto o clube passará por eleição presidencial em outubro, o time inicia a luta pelo tetracampeonato da Copa Santa Catarina no mesmo mês. A diretoria já aproveita para esboçar o elenco que defenderá as quatro cores do Bruscão no Campeonato Catarinense e no Brasileiro Série D da próxima temporada.

Projetando voos mais altos para a próxima temporada, a diretoria do clube vem evitando cometer os erros do passado e pensa na profissionalização da gestão. Para Danilo Rezini, é preciso aproveitar a boa visibilidade que o clube teve em 2017 e evoluir. “Do jeito que as coisas são feitas agora ainda são de forma amadora, temos que nos profissionalizar. Mas para isso precisaríamos de pessoas gabaritadas para administrar, remuneradas pelo clube inclusive”, explica.

Reunião com empresariado
Porém, para dar o passo adiante será preciso ampliar a receita do clube. O presidente do clube afirmou que há uma reunião importantíssima para tratar deste assunto ainda nesta semana com o empresariado brusquense. “Vamos apresentar o balanço do clube entre 2016 e início de 2017, os investimentos feitos, as possíveis dívidas na praça e mostrar um panorama geral das questões orçamentárias do clube. Na sequência comentaremos sobre o que será necessário para 2018”, explica.

Para Rezini, o Brusque valorizou muito sua marca nas últimas temporadas e precisa, portanto, do respaldo de seus apoiadores. “Consolidamos o nome do Brusque no estado, portanto a empresa que passa a nos patrocinar sabe que não está apenas ajudando, e sim investindo com a divulgação da sua marca pelo estado e país”, diz.

Na reunião deverão estar presentes representantes de empresas que já apoiam o clube historicamente: Havan, Archer, Mc’Jo, Recicle, Dicolore, Lemus, Boca Mafra, Bompack, Armazem Datacenter e HJ Tinturaria. “Mas também estamos de portas abertas para que novas empresas sejam parceiras”, completa o presidente.

Eleições
A conjectura política no Brusque ainda é nebulosa. A princípio, em mais uma oportunidade, não haverá oposição à chapa que será apoiada pelo atual presidente, Danilo Rezini. Resta saber se o próprio Rezini será candidato mais uma vez ou se dará lugar a outro personagem que terá o maior cargo executivo dentro do clube.

Antes do processo de eleição, porém, haverá uma reunião dos membros do conselho deliberativo que interfere diretamente na votação. Segundo o presidente do conselho, Célio Francisco de Camargo, será formado um novo estatuto do clube que, entre outras atualizações, altera o poder de voto. “Estamos buscando modernizar o nosso estatuto, mas tudo isso será discutido primeiramente em uma reunião que deve ser realizada nas próximas semanas”, explica.

Diante do cenário ainda impreciso, o atual presidente não soube afirmar se disputará a eleição. “Já estou há quase dez anos como presidente, e prefiro primeiro aguardar o resultado da reunião com os investidores para compreender como será a situação do clube no próximo ano”, diz.

Rezini é presidente do Brusque desde 2008, com uma única interrupção no ano de 2012, quando Mauricy Pereira de Souza foi o cartola.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio