+

Enchente em Brusque: moradores prejudicados pelos estragos poderão ter benefícios concedidos

Reunião entre autoridades realizou balanço dos danos das enchentes e definição das prioridades

Enchente em Brusque: moradores prejudicados pelos estragos poderão ter benefícios concedidos

Reunião entre autoridades realizou balanço dos danos das enchentes e definição das prioridades

Em reunião realizada na Prefeitura de Brusque durante a manhã desta segunda-feira, 20, o Grupo de Resposta e Ações Coordenadas (GRAC), instituído pelo prefeito André Vechi, fez uma nova análise dos impactos das chuvas e traçou as prioridades na recuperação da cidade.

Na ocasião, ficou definido que devido à situação atípica que o município enfrentou, as pessoas prejudicadas (que serão mencionadas em levantamentos feitos pela prefeitura) pelos estragos poderão ter benefícios concedidos. As famílias que sentirem prejudicadas também podem entrar em contato dom a secretaria de Desenvolvimento Social.

“Estamos fornecendo todo esse apoio técnico e liberando parte dos benefícios, como a renda cidadã, e também auxílio alimentação, se necessário”, disse a secretária de Desenvolvimento Social, Fabiana Silva Santos Gascoin.

O prefeito também fez um balanço da reunião. “Além dos danos materiais nas residências, que acabaram pegando água em virtude da cota do rio que chegou a 8,96 metros, houve muito dano ao patrimônio público, sobretudo em vias públicas”, disse.

“Na Avenida Luiz Henrique da Silveira, margem esquerda da Beira-Rio, o estrago foi gigantesco e hoje os nossos técnicos do SIE (Secretaria de Infraestrutura Estratégica) estão analisando qual foi o tamanho do prejuízo e de quem é a responsabilidade, se foi por uma questão climática que a gente não tem gerência ou se foi uma má execução da obra”, completou o prefeito.

Também nesta segunda, o vice-prefeito Deco Batisti terá uma audiência com o governador do estado, Jorginho Mello, para passar o panorama de Brusque e buscar viabilizar algum recurso junto ao governo do estado.

Liberação do trânsito

A Diretoria de Trânsito trabalha em parceria com a secretaria de Obras e Serviços Urbanos para liberar o fluxo de trânsito, principalmente na avenida Beira Rio. A prioridade é liberar totalmente a margem direita da via, desde a rotatória da Apae até a Unifebe.

“Estamos trabalhando com todas as equipes disponíveis nesta área. Conforme conseguirmos limpar as vias, vamos liberando o trânsito. Então, a princípio, toda a equipe da secretaria de Obras está trabalhando na limpeza para que até às 17h a gente consiga liberar o trânsito”, detalha o diretor-geral de Trânsito, Renato Bianchi.

Ele explica que até este horário, onde há movimentação intensa, alguns locais não estarão totalmente limpos, porém o fluxo de trânsito poderá ser liberado.

“Mesmo com alguns pontos tendo um pouco de barro na pista, com a circulação estando segura, liberaremos a via para o trânsito de veículos. Depois, próximo às 21h, a gente volta a fechar para fazer a lavagem da pista”.

Na margem esquerda da Beira Rio, no trecho entre a ponte Estaiada e a ponte do Bombeiro, o trânsito está liberado, com alguns pontos em meia pista. Já a avenida Luiz Henrique da Silveira está totalmente interditada, devido aos danos causados pela água, sem previsão para liberação. A ponte Arthur Schlosser, próximo ao Terminal Urbano, segue em meia pista, devido aos danos na cabeceira.

A Diretoria de Trânsito solicita atenção aos motoristas durante estes dias de limpeza e recuperação das vias.

“Pedimos a compreensão dos motoristas, que fiquem atentos à sinalização para evitarmos transtornos”, finaliza Bianchi.

Defesa Civil

Na última sexta-feira, 17, um dia de extrema dificuldade assolou diversas famílias em Brusque. Por volta das 21h, o Rio Itajaí-Mirim atingiu a marca de 8,96 metros de altura, configurando-se como a terceira maior enchente registrada na história do município. Na manhã seguinte, enquanto o rio retornava ao seu leito, a população iniciava a avaliação dos estragos causados pela inundação.

O coordenador da Defesa Civil, Edevilson Cugiki, explica que, neste momento, as equipes estão realizando um levantamento das residências afetadas. “Junto com a secretaria de Desenvolvimento Social, estamos identificando o número exato de famílias impactadas, para iniciar imediatamente a oferta de todo auxílio possível, como a liberação do FGTS e distribuição de cestas básicas”.

Quanto às próximas semanas, o coordenador ressalta que não é possível prever com exatidão a quantidade de chuvas esperadas. “Ainda temos previsões de chuvas para esta semana, mas, até o momento, nada comparável ao que enfrentamos. Vale ressaltar que as previsões meteorológicas são passíveis de mudanças constantes, por isso, a população deve permanecer atenta às notícias oficiais e aos boletins meteorológicos”.

Obras

O secretário de Obras, Ivan Bruns Filho, destacou que, desde a diminuição do nível da água, as equipes começaram imediatamente o processo de limpeza onde era possível.

“Nossa prioridade é restabelecer o tráfego nas ruas o mais rápido possível, para que a vida cotidiana da população retorne à normalidade. Infelizmente, muitas ruas foram afetadas, com abertura de diversos buracos. Planejamos iniciar, já na próxima semana, a operação tapa-buracos”.

Aproximadamente 95 ruas ficaram totalmente alagadas, exigindo a remoção de escombros e lama com o auxílio de máquinas. Atualmente, as equipes estão empenhadas na limpeza e lavagem dessas vias, preparando-se para os trabalhos de reparação.

Educação

No que diz respeito à Rede Municipal de Ensino, duas estruturas foram diretamente afetadas pelas águas. Tratam-se da Escola Raul Amorim, no Loteamento Emma II, e do Centro de Educação Infantil (CEI) Hilda Anna Eccel, no Jardim Maluche. Ambas já passaram por processo de limpeza. No CEI do Maluche, o atendimento já está normalizado. Vale ressaltar que a Escola Raul Amorim começará a atender apenas em 2024.

“Houve também outras ocorrências indiretas na rede, como no CEI Sofia Dubiela, no Santa Rita, onde a comunidade se mobilizou para ajudar na sexta-feira, 17, realizando o levantamento do mobiliário e dos equipamentos. No CEI Tia Trude, no Dom Joaquim, fomos afetados na parte externa, mais especificamente no jardim sensorial, onde as crianças brincam, que ficou bastante danificado”, comenta a secretária de Educação, Franciele Mayer.

A Escola de Ensino Fundamental (EEF) Luiz Gonzaga Steiner, localizada na Travessa Lagoa Dourada, assim como a Arena Brusque, serviu como abrigo temporário para pessoas desalojadas.

“Dado que a Arena era distante, as pessoas preferiram ficar na escola mesmo. Oferecemos alimentação, material de limpeza e higiene para todos”, complementa a secretária. “A chuva causou danos, mas agora é hora de retomar o planejamento para recuperar o que foi perdido”, conclui.

Desenvolvimento Social

As recentes enchentes que assolaram a cidade de Brusque deixaram várias famílias desabrigadas. A secretaria de Desenvolvimento Social prestou apoio integral, disponibilizando um abrigo para aqueles que perderam suas moradias.

“Na última sexta-feira, já abrimos o abrigo na Arena. Ao longo de sexta, sábado e domingo, acolhemos seis adultos e duas crianças. Lá, providenciamos todo o suporte necessário. No domingo, 20, por volta das 14h, a última família retornou para sua residência”, explica a secretária.

A equipe de desenvolvimento social identificou, no bairro Travessa Lagoa Dourada, 27 adultos e 7 crianças cujas casas foram afetadas pela chuva. Conforme a secretária, os jovens ficaram na EEF Luiz Gonzaga Steiner, onde foram disponibilizados colchões, alimentação e produtos de higiene durante o fim de semana.

“No sábado, após as 14h, fomos até o local das casas afetadas, disponibilizando material de limpeza para que pudessem realizar a limpeza de suas residências”, completa a secretária.


Assista agora mesmo!

Idolatria a Zico e Ayrton Senna leva japonês a conhecer e formar família em Brusque:


Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo