Exceções: trabalhadores não folgam no Réveillon em Brusque

Profissionais de hotelaria e segurança se acostumam a fazer seus planos de ano novo com base na escala de trabalho

Exceções: trabalhadores não folgam no Réveillon em Brusque

Profissionais de hotelaria e segurança se acostumam a fazer seus planos de ano novo com base na escala de trabalho

Em época de Natal e Réveillon, basta olhar em volta nas ruas de qualquer cidade para perceber que muitos estabelecimentos estão fechados ou funcionando em horários especiais. Muitas vezes, funcionários de órgãos públicos e empresas privadas tiram férias coletivas e voltam, geralmente, na primeira semana de janeiro.

No entanto, há aqueles que trabalham nos dias em que a maioria já está de folga, e que, em várias ocasiões, acabam passando Natal ou Réveillon sem a companhia da família e dos amigos. É o caso de profissionais de hotelaria, seguranças, atendentes, policiais, médicos, vendedores ambulantes, entre outras profissões.

O alagoano Edson da Silva trabalha nos Supermercados Archer como segurança, e já está muito bem adaptado a trabalhar nesta época: já foi escalado três vezes para trabalhar em 31 de dezembro. E no último dia do ano, por volta das 19h, é que ele pode finalmente relaxar para aproveitar a virada do ano como pode.

“Claro que isso corta algumas programações nossas, mas temos que trabalhar, já estou bastante acostumado. E a família tem que se acostumar também”, explica Edson. “E neste Natal, um colega meu queria me pagar para que eu cobrisse o turno dele. Mas não tinha como, né. Uma data comemorativa, em que a família já espera, eu não tive como abrir mão.

Enquanto Edson tem parte do dia 31 para aproveitar com a família e os amigos, uma funcionária do Hotel Innovare que não quis se identificar conta que já trabalhou durante duas viradas de ano em Balneário Camboriú, e irá trabalhar durante este Réveillon também. “Algumas pessoas da minha família já se acostumaram com esta rotina diferente, outras não. Minha família é toda do Oeste do Estado. Mas minha irmã mora em Balneário Camboriú e está de férias, meu marido está de férias, e eu sigo trabalhando nesta época. Claro que seria legal passar com eles, mas é uma questão de escolha”, explica a supervisora de hospedagem.

Ela está hospedada no hotel durante este plantão de fim de ano, mas afirma que não tem problema nenhum em horário de trabalho enquanto a maioria das pessoas está em contagem regressiva para 2018. “Trabalho com hotelaria há dois anos e meio e costumo dizer uma coisa: quando você trabalha com hotelaria, você tem que gostar muito. E eu gosto muito. Para mim, não é um sacrifício”.

 

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio