Flor símbolo de Santa Catarina é destaque na 50º Exposição de Orquídeas e Bonsais de Brusque

Mais de 5 mil plantas estiveram à venda durante os quatro dias da edição de novembro do evento

Flor símbolo de Santa Catarina é destaque na 50º Exposição de Orquídeas e Bonsais de Brusque

Mais de 5 mil plantas estiveram à venda durante os quatro dias da edição de novembro do evento

É na primavera que florescem as Laelia purpurata, orquídea que é destaque na 50ª Exposição de Orquídeas e Bonsais de Brusque, iniciada na última quinta-feira, 15, e encerrada no domingo, 18. Durante estes dias, cerca de 800 orquídeas de diversas variedades estiveram em exposição no Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof, o pavilhão da Fenarreco.

Além das flores trazidas por expositores de oito cidades, cinco vendedores disponibilizaram em torno de 5 mil plantas para venda no local. O presidente da Associação Brusquense de Orquidófilos e Amadores de Plantas Ornamentais (Abapo) e organizador do evento, Gilmar Serafim Machado, conta que as vendas e a visitação atingiram as expectativas da associação. Houve também venda de artesanato e outros produtos.

Venda de artesanato também atraiu os visitantes da exposição | Natália Huf

Na exposição realizada no mês de novembro, a flor destaque é a Laelia purpurata, orquídea que é tida com símbolo do estado de Santa Catarina. Originária da Serra do Mar, que vai do Rio Grande do Sul ao Espírito Santo, a flor nativa não pode mais ser retirada da natureza. Por conta disso, as flores expostas e vendidas no evento são exemplares produzidos em laboratório e cultivados por orquidófilos e orquidários.

Micropropagação
Uma das produtoras da planta é Eliane de Souza dos Santos, junto ao marido, Fernando. Moradores de Ilhota, eles são associados da Abapo e participam como vendedores do evento em Brusque. Proprietários do Orquidário Fernando, os dois possuem em casa um laboratório de micropropagação, no qual criam flores em cápsulas.

Orquidário Fernando, de Ilhota, produz flores em laboratório | Natália Huf

Assim como as mudas naturais, as flores Laelia purpurata produzidas em laboratório demoram cerca de oito anos para a primeira floração. Conforme explica Eliane, a semeação é feita com cápsulas em vidro. Elas passam cerca de um ano nos frascos, depois são movidas para bandejas e, por último, para os vasos.

“Começamos cultivando bromélias, as orquídeas vieram só em 2001, depois de aprendermos como semear em casa, usando caixas de papelão”, conta ela. Eliane e Fernando assistiram a uma palestra em Florianópolis sobre o procedimento e, desde então, vêm aprimorando a técnica.

Competição
As exposições de orquídeas e bonsais contam sempre com a premiação das melhores plantas, que são trazidas por expositores vindos de diversas cidades. Desta vez, participaram expositores de Brusque, São João Batista, Balneário Camboriú, Pomerode, Tijucas, Timbó e Navegantes.

Fransua Albino, de Tijucas, foi o campeão geral com sua Laelia purpurata | Natália Huf

O campeão geral da categoria Melhor Planta foi Fransua Albino, de Tijucas, membro da Associação Orquidófila de Tijucas (AOT), com um exemplar de Laelia purpurata. Esta foi a primeira vez que ele venceu com essa flor, que considera o “vício” de todos os orquidófilos: “Muita gente vem de longe só para ver essa flor”.

Segundo Gilmar Machado, organizador do evento, as Laelia purpurata mais bonitas e de maior qualidade são encontradas na região do Vale, e a exposição de novembro recebe visitantes de diversos estados e também de outros países, como do Paraguai, por exemplo, de onde vieram orquidófilos para prestigiar o evento.