Jovem representará Brusque na Jungle Marathon, considerada a competição mais perigosa do mundo

Depois de Jeferson Prette, Joelso Cordeiro participa da competição, que será realizada no coração da Floresta Amazônica

Jovem representará Brusque na Jungle Marathon, considerada a competição mais perigosa do mundo

Depois de Jeferson Prette, Joelso Cordeiro participa da competição, que será realizada no coração da Floresta Amazônica

Pelo segundo ano consecutivo, Brusque terá um representante na competição considerada a mais perigosa do mundo, a Jungle Marathon, realizada no coração da Floresta Amazônica. A importante participação do ultramaratonista Jeferson Prette em 2015 abriu as portas e incentivou outro destaque brusquense das provas mais intensas.

Joelso Cordeiro já confirmou participação nessa edição da competição que contará com 54 atletas de diversas nacionalidades, sendo 22 brasileiros e dois catarinenses. O atleta viaja hoje rumo ao Norte do país para dar início à longa jornada – são 260 quilômetros que precisarão ser percorridos em seis dias de prova, no centro da selva amazônica, enfrentando intempéries, administrando a própria alimentação e procurando chegar inteiro no final do desafio.

Rotina de maratonista

Há três anos, Cordeiro começou a se dedicar ao mundo das corridas. Começou, como todo atleta, a fazer distâncias pequenas, até chegar ao ponto de brigar por posições em competições extremas como a Jungle Marathon. Desde o início do ano, ele treina visando a competição no meio da selva e, embora a região não conte com solo e condições climáticas próximas do que ele enfrentará na Amazônia, o atleta garante que busca se preparar para o que está por vir. “Peguei umas dicas com o Prette, que já participou, e estou treinando em locais de trilhas, principalmente Guabiruba. Também busquei situações que terei lá, como molhar os pés para resistir a isso, e treinei muitas horas”, completa.

Durante os seis dias, Cordeiro terá quilometragens determinadas a percorrer. Diferente da maioria das provas, na Jungle Marathon os atletas se separam e ficam cada um por si. A própria alimentação é responsabilidade do atleta, que terá de carregar em mochilas juntamente com a rede para dormir. A prova é intensa e não é raro a desistência de competidores que não suportaram o clima úmido e quente, com sensações entre 35 a 40 graus.

Diante de todas as dificuldades, Cordeiro sabe que, como estreante, o objetivo maior não é a briga por posições. “Claro que se tiver a oportunidade vou lutar pelas primeiras colocações, mas a princípio meu desejo é completar a prova com segurança”, completa.
Cordeiro tem o apoio de Aeon Crossfit, Brownie do Bem, V. Imports Suplementos e Vultur Adventure.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio