Livros de colorir são sucesso de vendas em Brusque

Jardim Secreto e Floresta Encantada viram moda entre os adultos que querem relaxar

Livros de colorir são sucesso de vendas em Brusque

Jardim Secreto e Floresta Encantada viram moda entre os adultos que querem relaxar

Acostumado com o sucesso das trilogias, o mercado das livrarias em Brusque teve um choque neste ano com o boom dos livros de colorir. Desde que virou moda, os livros sumiram das prateleiras das livrarias e papelarias de Brusque. Em três estabelecimentos, há, inclusive, dificuldade para conseguir novos exemplares, devido à alta demanda em todo o país.

A moda de pintar para desestressar das atribulações do dia a dia surgiu com a escocesa Johanna Basford. Ela é a autora dos dois maiores sucessos editoriais neste nicho de mercado: Jardim Secreto e Floresta Encantada. A pretensão é clara: tirar o estresse. Se alcançou este objetivo ainda é passível de comprovação, porém, o sucesso de vendas ela atingiu.

Na Livraria Saber, do shopping Gracher, tanto o primeiro quanto o segundo título de Johanna saíram como água, conta o proprietário Luiz Gustavo Boscariol. Ele afirma que possui sete modelos de livros de colorir, sendo que os que mais são vendidos são os da autora escocesa, pois são os mais divulgados na imprensa. “Fizeram um trabalho de mídia e começou a aumentar a procura”, afirma.

Diferentemente do usual, que é receber os livros no estabelecimento, por causa da alta procura Boscariol teve que ir até Curitiba (PR) para pegar alguns exemplares, já que o distribuidor nem sequer conseguia entregar em tempo. “A quantidade que tem, vende. Trouxemos outros similares de outros atores e vendem muito bem também”, diz.

Em uma estimativa de procura, o proprietário da Saber diz que a cada 15 clientes que entram na loja, 13 procuram por livros de colorir. No Dia das Mães, os exemplares de pintar foram os mais vendidos, o que resultou na queda do preço médio de venda para R$ 29,90, de acordo com Boscariol. Apesar disso, ele espera que onda dure por, pelo menos, seis meses.

Na Livraria Gralha Azul, o cenário de sucesso de vendas se repete. De acordo com o proprietário do espaço, Celso Deucher, já foram vendidos mais de mil livros de colorir. “Está uma dificuldade conseguir os livros”, afirma. Segundo o proprietário, os livros Jardim Secreto e Floresta Encantada são os mais vendidos. Deucher afirma que conseguiu para esta semana mais 50 exemplares, mas “com dificuldade”.
Eleotério Graf, proprietário da Livraria Graf, dá a dimensão do tamanho do sucesso destes livros. Com vários anos de experiência no mercado, ele diz que os livros de colorir superaram em vendas trilogias consagradas como Senhor dos Anéis, Harry Potter e 50 Tons de Cinza. Graf afirma que também tem encontrado dificuldades para conseguir novos livros. “Para esta semana, deve normalizar mais”, diz.

Talento artístico

Para Graf, o sucesso dos livros de colorir poderá, ainda, resultar no surgimento de vários talentos da pintura artística. Ele ressalta que é preciso ter uma criatividade fértil para imaginar a folha em branco colorida. Foi pensando nisso que Tânia Regina Bartelt, gerente administrativo da Graf, criou um concurso para as melhores pinturas.

Vanessa Gomes Onesko ficou em terceiro lugar. A jovem diz que descobriu os livros de pintura por meio de um amigo. “Fiquei pensando em como ele ia tirar tempo para fazer aquilo. Um dia, comecei a pintar e gostei”, conta Vanessa. Ela diz que o primeiro desenho “ficou normal”.

“Aí, parti para o desenho grande e surgiu a promoção”. Ela diz que a experiência de pintar funciona como uma terapia.
Outra premiada no concurso é Bianca Cristine Cardoso, que tem o gosto pela pintura desde criança. “Eu vi no Instagram de uma amiga e achei legal. Depois, o pessoal começou a postar e também peguei para pintar”, afirma a jovem. Ela começou a colorir os livros há duas semanas e já foi premiada. A primeira colocada do concurso foi Martina Batista.
Arteterapia

Os livros de pintar apareceram para o público em geral e ganharam mercado com a promessa de ajudar a combater o estresse diário. O psicólogo Antônio Clóvis Gartner diz que a sensação descrita pelos pintores deste livros de alívio é possível, porque enquanto colore a pessoa relaxa, trabalha o ritmo e a concentração, tirando da cabeça as intempéries do cotidiano da vida moderna. “Tem, sim, um efeito de trabalhar a arte, o detalhe. Parece aqueles bordados antigos que as avós faziam”, afirma o especialista. Ainda conforme Gartner, as cores de cada desenho revelam traços da personalidade de cada pessoa.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio