Metalúrgicos de Brusque rejeitam proposta de reajuste salarial

Assembleia ocorreu no auditório da sede administrativa do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque

Metalúrgicos de Brusque rejeitam proposta de reajuste salarial

Assembleia ocorreu no auditório da sede administrativa do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque

Os trabalhadores metalúrgicos de Brusque votaram neste domingo, 4, em assembleia, o documento da Convenção Coletiva de Trabalho 2017/2018 da categoria. A reunião ocorreu no auditório da sede administrativa do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb).

O item discutido foi o de percentual de aumento salarial para o ano. No dia 21 de maio, os trabalhadores haviam rejeitado o reajuste de 4% sugerido pelos empresários da categoria. Foi realizada uma nova rodada de negociações.

Porém, o sindicato patronal argumentou que a crise financeira inviabilizaria percentual de aumento maior. Em contrapartida, durante a reunião deste domingo, os trabalhadores argumentaram que o aumento proposto pelos patrões não repõe as perdas reais inflacionárias do ano.

Os trabalhadores, então, decidiram, por meio de votação, rejeitar novamente o percentual de 4%, mas manter os benefícios sociais já acordados e autorizaram o sindicato a buscar para os meses seguintes um reajuste mais coerente com as perdas salariais. O índice percentual é baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC-, que mede a inflação nos últimos 12 meses – no valor de 3,99% e teto de R$ 306,46 para os trabalhadores com salário superior a R$ 7.700.

Entre o que já estava acordado nas reuniões anteriores está continuidade do prêmio assiduidade, que ficou em R$ 270, pago sempre em fevereiro e em julho, totalizando R$ 540. Pelo texto, o piso da classe passará de R$ 1.250 para R$1.330. Foi aprovada também a manutenção do plano de saúde dos trabalhadores, a Sintimmmeb Saúde, a estabilidade para mães por 90 dias após a licença maternidade regular prevista na lei de 6 meses, entre outros.

Houve uma alteração no cálculo do adicional noturno. Hoje, a lei determina que sejam pagos de adicional 20%. Os metalúrgicos têm acordado 25%, que passará a ser de 24% para os trabalhadores da ativa, com mais 1% incorporado ao salário, totalizando 25%. Para os contratados a partir de 1º de maio de 2017, o adicional noturno passará a ser de 24%. Além disso, a classe segue como a única categoria dos metalúrgicos no Brasil que tem jornada regular de 43,5 horas semanais.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio