Monteiro Lobato: inspirando novos leitores

Passados 64 anos da morte do autor, buscamos saber como anda a leitura e a procura por suas obras

Monteiro Lobato: inspirando novos leitores

Passados 64 anos da morte do autor, buscamos saber como anda a leitura e a procura por suas obras

Nas escolas da rede municipal, Monteiro Lobato é presença garantida durante a Semana da Literatura Infantil. Mesmo sendo celebrada em abril, a atividade serve para fomentar nas crianças a vontade pelos livros. Na Escola de Ensino Fundamental Rio Branco, que atende desde a educação infantil até o ensino fundamental, não faltaram atividades. 

A professora e gestora de biblioteca, Joelma da Silva, declara que foram desenvolvidas atividades com todos os alunos da escola: de confecção de máscaras, à esquetes e apresentações de teatro. Os roteiros, são adaptações feitas pelos alunos e por um ex-secretário da escola. 

– Na semana, o foco é a história e a importância do autor. Mas os alunos sempre estão em contato com a leitura, não fazem só a atividade nesta semana específica. 

Os estudantes afirmam que a semana especial é só o primeiro pé na água antes do mergulho nas obras de Lobato e no mundo da literatura. A repórter, que sonha com o Sítio do Pica-Pau Amarelo desde muito pequena de idade, se empolga:

– Como é que o Pedrinho foi para a Viagem ao Céu?

A resposta vem em coro:

– Com pó de pirlimpimpim. 

É verdade, como poderia esquecer o pirlimpimpim e o ‘faz de conta’ da Emília, Marquesa de Rabicó. 

A aluna da 7ª série, Isabeli do Nascimento Pereira, 12 anos, explica que o que encanta nas obras de Lobato, é o jeito que as histórias são contadas. 

– É só dele a forma de contar as histórias, que ele imagina. Como no livro ‘O Minotauro’, ele imagina e conta a história, não vai certinho como é na mitologia.

Diogo Rocha de Lucas, 9 anos, do 4º ano, elenca as obras que já leu: 


-‘Viagem ao céu’, ‘Reinações de Narizinho’, ‘Histórias de Tia Nastácia’. E estou lendo ‘Fábulas’. Eu acho os livros dele ótimos, uma viagem em um mundo de fantasia.

Chamado de ‘Sr. Dicionário’ pelos coleguinhas do 4º ano, Matheus Beilfuss, 9 anos, fala de coisas que muitos livros de hoje em dia, cheios de dobraduras e coloridos, perderam.   

– O que ele conta vai muito além da imaginação. Ele fala de coisas bem difíceis de ver no mundo real. As histórias dele são difíceis de ver em outros livros. 

Na 7ª série, Alzemir Tabarelli Filho, 13 anos, gosta da diversidade de personagens e da mescla que Lobato faz, com figuras conhecidas, como Popeye, Saci, Peter Pan, Dom Quixote. E de Lobato, já partiu para outras leituras. 

– E vocês gostam mais de assistir o Sítio na TV ou de ler os livros?

Em coro, mais uma vez, a resposta é unânime: ler! O motivo são as mudanças e cortes feitos pela TV. Nos livros, as histórias são mais bonitas. São muitas muitas muitas histórias: o baile no Reino das Águas Claras, o dragão sem fogo de São Jorge na Lua, a volta no tempo para fazer com Hércules doze trabalhos. Detalhes e encantos infinitos, que só a imaginação junto às palavras de Lobato são capazes de contar. 

**Na edição de quinta-feira, 6, saiba mais sobre Monteiro Lobato e confira como foi a primeira visita a uma biblioteca dos alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja).
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio