Conteúdo exclusivo para assinantes

Moradora do Ponta Russa é a primeira motorista da Uber em Brusque

Sônia Regina Rodrigues foi autorizada a trabalhar em junho; prefeitura trabalha na regularização da atividade

Moradora do Ponta Russa é a primeira motorista da Uber em Brusque

Sônia Regina Rodrigues foi autorizada a trabalhar em junho; prefeitura trabalha na regularização da atividade

Sônia Regina Rodrigues, 46 anos, é a primeira motorista de Brusque autorizada a trabalhar como Uber, aplicativo de transporte com automóveis, semelhante ao táxi.

Há dois meses ela realiza corridas, tanto dentro do município como para cidades da região. Em média, sua jornada de trabalho é de oito horas por dia. Em dois meses, recebeu cerca de R$ 2 mil.

Como sempre trabalhou no comércio, Sônia – que é natural de Naviraí (MS), mas mora no bairro Ponta Russa, em Brusque, há mais de um ano e meio -, considerou a Uber uma boa forma de garantir renda extra.

Até fevereiro ela trabalhava como supervisora de vendas em loja de perfumes, quando se desligou da empresa e ficou até junho recebendo seguro-desemprego.

A motorista conta que estava em busca de uma nova opção de trabalho, quando sua filha, que mora em Florianópolis, sugeriu que a mãe se cadastrasse no site da Uber. “Eu não sabia que estava liberado para Brusque. Fui me informar na central em Blumenau e vi que poderia me cadastrar”, diz.

Em junho Sônia já se cadastrou no site e após sete dias já estava autorizada a atuar como Uber. Na sequência, ainda fez uma capacitação em Blumenau, com outros motoristas da região.

“Eu gosto de dirigir e de estar com as pessoas, saber o que pensam. Pra mim está sendo muito bom. Até agora não tive nenhum problema”.

Sônia Regina Rodrigues trabalha em média oito horas por dia/ Daiane Benso

20 anos de habilitação
Conforme ela, que tem habilitação desde 1997, o número de corridas que faz diariamente é variável. Ontem, por exemplo, quando atendeu a reportagem do O Município e falou sobre a nova experiência, ela já havia feito oito corridas. Geralmente Sônia sai de casa às 9h e estaciona seu veículo – um Gol prata – na área central de Brusque.

Ali fica à disposição dos usuários do aplicativo, levando pessoas até à Havan, FIP ou ainda na rodoviária. Faz muitas corridas fora da cidade, principalmente para Balneário Camboriú, Blumenau, Timbó, Indaial e Joinville.

Ela diz que costuma trabalhar até as 17h durante a semana e eventualmente no sábado. No último domingo, 24, foi a primeira vez que trabalhou, e segundo ela, o resultado foi bom. Durante a noite ainda não fez corridas.

O valor mínimo de uma corrida é R$ 6, mas em média, dependendo a distância, chega a até R$ 20. A reportagem gastou ontem, por exemplo, R$ 13,90. O deslocamento foi da sede do jornal, na rua Felipe Schmidt, até a rua Pedro Werner, em frente ao Centro Empresarial de Brusque. De lá retornou para o ponto de partida.

Diferentemente de alguns municípios, onde o pagamento é feito por meio do cartão de crédito, em Brusque já é possível pagar pelo serviço com dinheiro. Desta maneira, quando o cliente paga com cédulas, a Uber desconta a porcentagem deste valor do cartão de crédito – geralmente é de 20% a 25%.

Sônia afirma que ainda não está tendo muito retorno financeiro, muito em função das pessoas de Brusque não saberem que o aplicativo está disponível.

“Ainda é uma novidade e o público não está acostumado. Por isso, acabo pegando muitos usuários que não moram aqui, mas acredito que aos poucos as pessoas vão utilizar mais”, diz a motorista.

Regulamentação
Hoje não existe uma legislação específica para atuação de Uber em Brusque. Porém, segundo o secretário de Trânsito e Mobilidade (Setram), Alonso Moro Torres, a prefeitura está trabalhando para regulamentar o serviço.

Ele explica que paralelamente ao projeto de elaboração do novo processo de licitação do serviço de táxi na cidade, há um capítulo exclusivo para o aplicativo. “É uma tendência em vários países do mundo, mas aqui ainda não temos uma regulamentação específica, mas vamos trabalhar para que logo isso aconteça”, garante Torres.

Como usar a Uber?
Para utilizar a Uber, o usuário precisa baixar o aplicativo no celular. Quando abre o programa, os motoristas disponíveis que estão na cidade aparecem no sistema. Com isso, o usuário precisa selecionar o motorista, preencher os pontos de partida e chegada, e confirmar a corrida.

O usuário tem cinco minutos para cancelar a viagem. Todas as informações do motorista e do carro – modelo e placa – e o tempo estimado para chegar ao local solicitado são informados ao usuário, que pode fazer o acompanhamento do motorista pelo aplicativo.

No entanto, o veículo não é identificado como Uber e o usuário precisa ficar atento ao modelo e placa informados no aplicativo.

Ao fim da corrida, o passageiro pode classificar o motorista e vice-versa com até cinco estrelas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio