Motoristas da Uber cadastrados em outras cidades atuam em Brusque

Ontem, a reportagem conseguiu utilizar o serviço dentro do município

Motoristas da Uber cadastrados em outras cidades atuam em Brusque

Ontem, a reportagem conseguiu utilizar o serviço dentro do município

Motoristas cadastrados no aplicativo de caronas pagas Uber têm circulado frequentemente em Brusque. A reportagem de O Município baixou o aplicativo e, nas últimas semanas, percebeu que veículos estiveram na cidade, um deles, na tarde de ontem.

Por volta das 14h, a reportagem acionou o veículo pelo aplicativo para fazer o teste e entender como o serviço está funcionando na cidade.

O motorista que fez a corrida tem 35 anos e é de Balneário Camboriú, onde o serviço está disponível desde março. Ele atua na Uber desde que o aplicativo chegou no município e veio para Brusque ontem para trazer um casal para fazer compras na FIP.

“Eu vim trazer passageiros e como ia ficar esperando eles até as 16h, decidi ficar online no aplicativo para testar se teria alguma corrida aqui”, diz.

De acordo com ele, nada impede que os motoristas cadastrados na Uber em cidades da região que já contam com o serviço como Itajaí, Navegantes e Blumenau, façam corridas também em Brusque.

“A plataforma está aberta em Brusque, então se um motorista vir até a cidade, ficar online e for solicitado por um usuário, pode fazer sem problemas”, explica.

O motorista conta que nas cidades da região que já têm o aplicativo, o serviço é bastante utilizado e que por isso, é inevitável a ampliação dos municípios habilitados a prestar o atendimento.

A assessoria de imprensa da Uber, entretanto, não confirma se Brusque está entre as próximas cidades da região a receberem o serviço oficialmente.

Liberdade de horários
O motorista conta que trabalhava com o transporte de mercadorias, mas acabou demitido e viu na Uber uma opção de renda. Ele se cadastrou no aplicativo, participou de uma palestra e encaminhou a documentação para a empresa. A única exigência para se tornar um motorista pelo aplicativo, segundo ele, é ter um carro com ano a partir de 2008.

“Eu encaminhei os documentos para eles e esperei a aprovação. A partir do momento que eles aprovam, o motorista já pode começar a trabalhar”.



Ele destaca que o motorista tem a liberdade de fazer o seu próprio horário. “Eu trabalho com outras coisas, então não é sempre que eu estou disponível no aplicativo. Hoje, a Uber não é minha única fonte de renda”.

Segundo ele, os motoristas da Uber recebem o pagamento em conta bancária toda quarta-feira. Do valor de cada corrida, a administração do aplicativo fica com 25%. Por enquanto, apenas em Blumenau, Joinville e Florianópolis é possível o usuário fazer o pagamento com dinheiro. Nas demais cidades da região, a corrida é paga com cartão de crédito cadastrado pelo usuário.

Como funciona?
Para poder utilizar a Uber, o usuário precisa baixar o aplicativo de celular. Quando abre o aplicativo, os motoristas disponíveis que estão na cidade aparecem, aí basta o usuário selecionar o motorista escolhido, preencher os endereços, e confirmar a corrida.

O usuário tem cinco minutos para cancelar. Todas as informações do motorista, do carro – modelo e placa – e o tempo estimado para chegar ao local solicitado são informados ao usuário, que pode fazer o acompanhamento do motorista pelo aplicativo.

O veículo não é identificado como Uber, o usuário precisa ficar atento ao modelo e placa informados no aplicativo.

Ao fim da corrida, o passageiro pode classificar o motorista e vice-versa com até cinco estrelas. Ontem, a reportagem saiu da rua Felipe Schmidt, 31, no Centro, e foi até a rua Pomerode, no bairro Santa Rita. Para um trajeto de 5,5 km, ida e volta, o valor cobrado foi de R$ 14,53.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio