Nível do rio Itajaí-Mirim baixa para 6,84m, em Brusque

Água baixou 40 centímetros após atingir o pico e tendência é de queda

Nível do rio Itajaí-Mirim baixa para 6,84m, em Brusque

Água baixou 40 centímetros após atingir o pico e tendência é de queda

De acordo com a medição das 7h, o nível do rio Itajaí-Mirim em Brusque baixou para 6,84 metros, informa a Defesa Civil do município. Com isso, nesta quinta-feira, 1, a situação deve voltar à normalidade.

O pico do rio foi atingido por volta das 4h da madrugada, quando alcançou os 7,14m, abaixo da previsão inicial de que a água poderia subir 8m. Segundo a Defesa Civil de Brusque, a tendência é de que a partir de agora o rio comece a baixar, sem trazer maiores prejuízos à população brusquense.

O coordenador da Defesa Civil, Edvilson Cugik, diz que a tendência é que o rio já esteja dentro da calha até meados da tarde desta quinta-feira. A água está baixando mais rápido e deve manter este ritmo até chegar aos 5,50m.

Cugik comenta que a previsão inicial já deixava uma margem de segurança. Segundo ele, não houve nenhum caso grave. “A princípio, tinha a situação de uma casa no Poço Fundo um pouco mais grave e também no Azambuja, mas não precisamos retirar nenhuma família e foi bem tranquilo”, observa.

De acordo com a Prefeitura de Brusque, como o nível do rio não chegou aos 8m, nenhuma família ficou desabrigada ou desalojada. Ninguém procurou o abrigo montado na Arena Brusque.

Ainda de acordo com o coordenador da Defesa Civil, como o nível atingido pelo rio ficou abaixo do projetado, não houve a necessidade de que famílias fossem retiradas de suas casas e movidas para o abrigo provisório, que chegou a ser montado pela Secretaria de Assistência Social na Arena Brusque.

O vice-prefeito de Brusque, Ari Vequi, diz que o principal fato a ser comemorado é que não houve vítimas.“E é isso que vale.  Vidas humanas serem preservadas, bem público e materiais a gente recupera. Em primeiro lugar o importante é as pessoas estarem bem. Agora é esperar o rio baixar, ver o que podemos recuperar e voltar à vida”, comenta.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio