Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Nossas Praças – Parte 2

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Nossas Praças – Parte 2

Raul Sartori

Na coluna do dia 12 de outubro conhecemos sobre as Praças Barão de Schneéburg e Vicente Só. Dando continuidade à “nossa viagem” pelas praças de Brusque, hoje vamos conhecer um pouco a respeito da Praça Gilberto Colzani e da Praça da Cidadania.

Praça Gilberto Colzani e o marco dos italianos
A praça foi denominada Gilberto Colzani em 1994, e inaugurada em 19/12/1996. Implantada em frente ao Terminal Urbano de Brusque, e ao lado da cabeceira da Ponte Arthur Schlösser, esta talvez seja a única praça da cidade com sobrenome italiano, apesar de o número de imigrantes italianos ter sido muito superior ao de outras etnias que colonizaram Brusque.

Veja também:
PT pede à Justiça Eleitoral mandados de busca e apreensão na casa de Luciano Hang e na Havan

Antigo Casarão da Saúde, no Centro de Brusque, é demolido

Prefeitura estuda terceirização da Fenarreco nos próximos anos

Gilberto Melchior Colzani descende de imigrantes europeus. Seu pai, Abrão Colzani, era italiano. Sua mãe, Selma Heil, descende de alemães. Gilberto viveu sua infância e juventude no bairro Dom Joaquim. Após se casar com Lucilla Schlindwein Colzani, passou a residir na avenida Lauro Müller, onde iniciou atividades no comércio de secos e molhados, tornando-se um dos pioneiros no gênero em Brusque. Seu trabalho começava com o abate de suínos e bovinos e culminava na produção de embutidos. Dentre as iguarias, as mais vendidas eram a linguiça e a morcilha. Gilberto era comerciante, marceneiro e sócio de todos os clubes da cidade e tinha muito orgulho de sua família, para quem deixou um legado de amor, honestidade e trabalho.

Em 22/09/2000, o Circolo Italiano di Brusque fez instalar, na praça, a placa comemorativa aos 125 anos de imigração italiana no Brasil, simbolizando a memória dos imigrantes italianos. Em 6/08/2010, o chafariz foi reinaugurado. Trata-se de um atrativo inédito onde as cascatas d’água e chafarizes com iluminação artificial permitem oferecer um espetáculo de luzes e cores à noite.

A praça também conta com um lago artificial e com a escultura denominada “Família de Bugre”, que representa o imigrante e o habitante nativo de nossa região que, em alguns casos, formaram famílias. A escultura é uma obra do artista brasileiro José Ubaldo da Silva e foi esculpida em 2001, no Simpósio Internacional de Esculturas do Brasil.

Localização: Rua Germano Schaefer, nº 209. Centro. Brusque.

Praça da Cidadania e o marco dos poloneses
Inaugurada em 17/08/ 2013, a Praça da Cidadania foi implantada com o objetivo de facilitar a vida dos moradores ao reunir os principais serviços públicos no mesmo espaço. Foi batizada de Prefeito Paulo Lourenço Bianchini, em homenagem ao médico e político brusquense, e a sua inauguração fez parte dos eventos em comemoração ao aniversário de 153 anos de Brusque.

Veja também:
Rua de acesso à ponte do Rio Branco será alargada em 2019

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

PM registra três assaltos em um mesmo dia, em Blumenau

A praça possui um complexo de serviços públicos que abriga os postos de atendimento do Samae, Sine, Procon, Conselho Tutelar, Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas), Centro de Convivência Social, Centro de Serviços em Saúde Prefeito José Celso Bonatelli, onde estão instalados o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), o Centro de Referência de Especialidades (Policlínica), e as farmácias Básica e de Medicamentos Controlados. No local também funciona a Fundação Cultural de Brusque, e a Biblioteca Pública Municipal Ary Cabral, além de contar com um palco para apresentações artísticas e shows, sanitários e um espaço destinado aos artesãos brusquenses.

Além dos serviços públicos, na Praça da Cidadania estão implantadas algumas obras de arte que integram o Roteiro das Esculturas, e o monumento intitulado “pinhão”, uma homenagem aos imigrantes poloneses que aqui aportaram em 1869 e concederam a Brusque o título de Berço da Imigração Polonesa no Brasil.

Localização: Rua Prefeito Germano Schaefer, nº 110. Centro. Brusque.

Continua na próxima semana.