Obras da prefeitura de Brusque serão gerenciadas por sistema online

No futuro, a população poderá acompanhar o andamento das ações pelo Portal da Transparência

Obras da prefeitura de Brusque serão gerenciadas por sistema online

No futuro, a população poderá acompanhar o andamento das ações pelo Portal da Transparência

Está em fase de testes na Prefeitura de Brusque o Programa de Gestão de Obras (PGO). Disponibilizado pelo Consórcio de Informática na Gestão Pública Municipal (Ciga), o programa tem como objetivo facilitar o planejamento e acompanhamento das obras realizadas no município.

O sistema está sendo testado no Departamento Geral de Infraestrutura (DGI), setor que será o responsável por inserir e controlar as informações. “O programa é muito interessante. No começo, estava muito engessado, e então tivemos que adaptá-lo às nossas condições de obras. A empresa já fez as modificações e agora estamos testando”, diz o diretor geral do DGI, Rúbio Steingräber.

De acordo com ele, uma das facilidades do sistema é que ele facilitará a gestão das obras financiadas pela Caixa Econômica Federal no município. “Os fiscais da Caixa poderão acessar os boletins de informações de cada obra financiada pelo banco no município, de onde eles estiverem. É muito mais fácil e rápido”, destaca.

Steingräber afirma que apenas as obras que estão em fase inicial já estão inseridas no programa de gestão. “A creche no antigo Senac [no Jardim Maluche], por exemplo, já está na reta final, então não valeria a pena acrescentar todas as informações da obra no programa. Já a construção da praça do Azambuja, é um das obras em teste no sistema”.

Segundo o diretor geral, o programa de gestão pode evitar que aconteçam erros de somatória na medição das obras, por exemplo. “Nós fazemos o cadastro, lançamos a planilha orçamentária da obra, e não tem como manipular o somatório, o valor já é de acordo com o da licitação, não tem como modificar, isso dá mais qualidade no nosso controle e também evita possíveis erros das construtoras”.

Outro ponto interessante do sistema, segundo Steingräber, é que cada fiscal possui uma senha de acesso ao sistema. “Cada fiscal é o dono de sua obra, então, eles não tem acesso a obra que o outro está fiscalizando, eles só conseguem entrar em sua obra”.

Apenas o diretor geral do DGI e o prefeito tem senhas diferenciadas que dão acesso a todas as obras cadastradas no sistema. “Eu posso acessar em casa, pela internet, o prefeito também pode acompanhar de onde estiver. Outro ponto positivo é que tudo é armazenado online, então, pode mudar a gestão, trocar de fiscal, que as informações de todas as obras estarão sempre lá, sem nenhum risco de se perderem”.

Steingräber também ressalta que, no futuro, a população poderá acompanhar o andamento das obras pelo Portal da Transparência. “Podemos tirar os relatórios de cada obra incluída neste sistema e disponibilizar no Portal da Transparência. Ano que vem, com a retomada das obras, o nosso banco de dados estará carregado e poderemos implementar de vez o programa”

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio