Observatório completa 35 anos

Pioneiro na astronomia catarinense, local surgiu em 1979 com a ajuda dos padres da cidade

Observatório completa 35 anos

Pioneiro na astronomia catarinense, local surgiu em 1979 com a ajuda dos padres da cidade

O Observatório Astronômico de Brusque completa hoje 35 anos. O espaço foi fundado em 1979, nos fundos do Convento Sagrado Coração de Jesus, onde permanece até hoje, por iniciativa dos padres Pedro Canísio Rauber e Tadeu Cristovam Mikowski, além do professor Silvino de Souza, que acompanhou a trajetória do instituto desde a sua fundação e atualmente é coordenador do local.

“Somos referência em astronomia em toda Santa Catarina. Isso porque entre todas as cidades catarinenses, fomos a primeira a construir um observatório e investir no estudo dessa ciência”, conta Souza. Ele lembra que, no início, não havia um telescópio para estudar as estrelas. “Posso dizer que isso tudo nasceu por causa de um binóculos, do Padre Canísio, temos ele até hoje. Depois fomos comprando os equipamentos necessários, mas essa foi nossa primeira forma de observar o céu”, revela.

Com o tempo, o Observatório recebeu um telescópio refletor newtoniano de 200mm, um presente do Pe. Raymundo Weihermann, da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Logo depois, o local passou a chamar-se Observatório Kappa Scorpii, em referência a uma das estrelas representadas na constelação do Escorpião.

Em 1986, com a passagem do cometa Halley, o Observatório despertou maior interesse da comunidade e ganhou mais adeptos da ciência astronômica por causa da expectativa da passagem do fenômeno pela Terra. Passaram a integrar a equipe de astrônomos amadores: Ronaldo Uller, Paulo César Sgrott, Emerson Alexandre Sgrott, João de Oliveira e Jefferson Silveira. A partir daí, em 1987 foi criado o Grupo de Estudos Astronômicos Antares, ligado ao Observatório.

Algum tempo depois, em 1994, foram iniciadas as obras de reforma e ampliação com o apoio de empresários, poder público municipal e estadual, autoridades ligadas ao ensino e a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Nesse período também começou a recuperação da cúpula do Observatório e iniciada a construção de um segundo piso (pavimento superior) para abrigar um novo telescópio. Posteriormente foram construídas as demais instalações como auditório, biblioteca, administração, sala de exposições e terraço de observação.
“Após as reformas recebemos esse novo telescópio, pesando 1800 kg, era mais moderno na época e apesar de hoje estar inutilizado, ele permanece na cúpula”, explica. O local foi reinaugurado em agosto de 1995 e recebeu o nome de Observatório Astronômico de Brusque “Tadeu Cristóvam Mikowski”, em homenagem a um dos fundadores.

O estudo da astronomia
Atualmente o Observatório Astronômico de Brusque atende cerca de cinco mil pessoas por ano, na grande maioria, estudantes de Brusque e cidades vizinhas. Porém, é comum receberem excursões de Florianópolis, Joinville, Rio do Sul, Balneário Camboriú e outros estados, como o Rio Grande do Sul e Paraná. Além do atendimento aos alunos, o local é aberto à visitação todo segundo e terceiro sábado do mês.

“Recebemos essas pessoas aqui sempre que elas solicitam. Aos sábados, é aberto a toda a comunidade. O ideal é vir à noite, pois dessa forma é possível ir além da teoria e de fato, observar o espaço. Mas a astronomia não é algo muito difícil de praticar, basta ter uma boa luneta, que é possível comprar por até R$ 1.500, além de paciência, persistência e vontade de aprender”, explica o professor.

Silvino de Souza iniciou os estudos de astronomia muito cedo e já passou por alguns países para aperfeiçoar seus conhecimentos. “Comecei aos 12 anos. Sempre gostei de astronomia, persisti nesse sonho e sigo a carreira até hoje. Para receber o título de astrônomo, é necessário a formação acadêmica em Física e cursos na área. Não cheguei a me formar, mas fiz estágios no Observatório Nacional, em 1989, Campinas (SP), Córdoba (Argentina), Cidade do México e por último, Paris (França), em 1999”, revela. Hoje, ele é responsável pelas palestras, observações e aulas sobre astronomia.

Atualmente, o Observatório dispõe de uma biblioteca com várias obras para aqueles que se interessam pelo assunto. Além disso, possui também um telescópio refletor Cassegraniano de 330 mm, um Newtoniano de 200 mm e um Newtoniano de 150 mm.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio