Na semana do Dia de Finados, peças de cobre são furtadas em cemitérios de Brusque

Familiares foram surpreendidos pela ação de criminosos

Na semana do Dia de Finados, peças de cobre são furtadas em cemitérios de Brusque

Familiares foram surpreendidos pela ação de criminosos

O Dia de Finados foi de surpresa para algumas famílias de Brusque. Desde a semana passada, inúmeros furtos aconteceram em cemitérios do município. Diversas placas de identificação, crucifixos e molduras de fotos em cobre foram levados, especialmente no Parque da Saudade e no cemitério da comunidade Santa Teresinha.

Os crimes desta natureza ocorrem com frequência, mas desta vez o que chamou a atenção foi a quantidade de pessoas afetadas. Lilian Fischer Machado, 60 anos, foi uma das vítimas. Ela esteve no Parque da Saudade e se deparou com a triste cena. “A placa com o nome dos meus pais foi furtada, e pelo que vi, muitos outros túmulos ao redor também foram alvo dos criminosos”, conta.

Ela ressalta que esta foi a primeira vez que o túmulo dos pais foi furtado. “Ainda não coloquei as placas de novo. Agora, no Dia de Finados, em que as pessoas vão até o cemitério para visitar, muitos tiveram dificuldade de encontrar, pois diversos túmulos estão sem identificação”.

Lilian preferiu não procurar a Delegacia de Polícia Civil para registrar a ocorrência. Para ela, é necessário conscientização das pessoas e respeito pelos falecidos.

A atriz Patrícia Souza esteve na terça-feira, 31, no cemitério de Santa Teresinha com a irmã para enfeitar o túmulo dos pais, e do corredor já pôde constatar o crime. No túmulo dos pais foram furtadas as placas de identificação e um crucifixo. O prejuízo foi calculado em R$ 700.

“A gente vai toda semana lá, porque minha mãe, que faleceu há seis meses, sempre cuidou para não furtarem as placas do pai. E esse crime ocorreu durante o fim de semana”, comenta.

Esta também foi a primeira vez que os criminosos furtaram o túmulo da família. Porém, pelo que Patrícia observou, outras sepulturas que já haviam sido furtadas em outra oportunidade voltaram a ser alvo dos ladrões. “Eu olhei ao redor e, pelo menos mais 15 túmulos estavam sem as placas, crucifixos e outros pertences”.

A atriz conta que já fez o pedido de novas placas, porém, desta vez serão de acrílico para não despertar o interesse de criminosos. “É triste, pois a família procura fazer tudo bonito como forma de homenagear e não respeitam nem isso”, lamenta.

Patrícia fez uma postagem em seu Facebook para informar o caso e como forma de mobilização, para que as pessoas, especialmente as que compram esses materiais furtados, ficarem atentas. “Se tem o furto é porque tem gente que compra. É importante lembrar que a pena para quem compra é igual a de quem se dá ao trabalho de furtar”.

Reclamações à igreja
O pároco da paróquia Santa Teresinha, padre José Henrique Gazaniga, afirma que desde o fim de semana tem recebido diversas reclamações por conta dos crimes que ocorreram no cemitério. O crime tem ocorrido mesmo com o portão sendo fechado após às 18h. “Mas, infelizmente, muitos furtos ocorrem até mesmo de dia”.

Há um tempo, o padre lembra que um homem foi flagrado furtando as peças no local e ele foi detido pela Polícia Militar. “Ele foi para a delegacia, mas depois de um tempo estava solto de novo. Então, não sabemos mais o que fazer. Talvez precisaríamos de mais rondas no local. É questão de segurança e o município deveria tomar uma atitude”, avalia.

Como os túmulos são particulares, o padre lembra que a responsabilidade é de cada proprietário, por isso, a paróquia não pode se responsabilizar pelos danos ou crimes. “Orientamos a fazer o boletim de ocorrência”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio