PM se esforça para superar falta de efetivo

Batalhão quer contratar ex-policiais ou temporários para cuidar do videomonitoramento

PM se esforça para superar falta de efetivo

Batalhão quer contratar ex-policiais ou temporários para cuidar do videomonitoramento

A Polícia Militar terá de usar a criatividade para conseguir tirar o máximo do efetivo que possui no momento. A expectativa do subcomandante do 18º Batalhão de Polícia Militar, major Moacir Gomes Ribeiro, é que até o final do ano o número de câmeras de vigilância na cidade ultrapasse 50. Com isso, será necessário ter mais pessoas no Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), que é responsável pelo atendimento das ligações para o 190 e pelo videomonitoramento. A solução poderão ser os temporários ou ex-PMs, para não ter de tirar policiais das ruas.

O major Gomes afirma que consultará o comando-geral sobre a possibilidade de contratar policiais aposentados para suprir as necessidades do monitoramento no Copom. Outra ideia é alocar agentes temporários da PM para o serviço, ou, em último caso, colocar estagiários para cuidar das câmeras. “A nossa primeira opção, sem dúvida, é de contratar os aposentados que querem voltar para a PM. Eles já tiveram a vivência como policial, o que ajuda muito a interpretar as imagens”, afirma o major Gomes. Em todos os casos os novos contratados passarão por um curso de capacitação dado pela Polícia Militar para aprender a interpretar as imagens e detectar atitudes suspeitas.

A principal razão para esta engenharia é a luta do batalhão contra a falta de efetivo. Embora o governo estadual tenha destinado 15 novos policiais para a região de Brusque há poucas semanas, o número é insuficiente. Isso porque os novos soldados foram distribuídos entre Botuverá, Gaspar, Ilhota e Guabiruba, além de Brusque. Somente na sede do 18º BPM, antes da chegada do reforço, havia 94 PMs, quantidade considerada abaixo do ideal pelo comando da PM brusquense.
Mais câmeras
“É muito importante para nós ter este reforço das câmeras, até pela nossa dificuldade de efetivo”, diz o major Gomes. Atualmente estão funcionando em Brusque 24 câmeras, que são mantidas pela prefeitura. Até agosto, mais seis serão instaladas: duas no pavilhão da Fenarreco; duas na rodovia Ivo Silveira; e duas no bairro Dom Joaquim. Duas pessoas, no Copom, ficam responsáveis por acompanhar as imagens e repassar para as guarnições.

Além das câmeras do poder municipal, há mais 10 do programa Bem-te-vi, do estado. E o prefeito Paulo Eccel já pediu ao governo estadual mais 20 equipamentos, que deverão ser entregues até o final do ano. Para comportar este aumento no videomonitoramento, um prédio dentro do 18º BPM está sendo ampliado e reformado para receber o Copom. O local terá capacidade para até 128 câmeras e, consequentemente, o número de pessoas de olho nas telas terá que ser aumentado.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio