Proliferação de insetos aumenta com calor

Em meses mais quentes, a reprodução de baratas, cupins e formigas é mais rápida do que o normal

Proliferação de insetos aumenta com calor

Em meses mais quentes, a reprodução de baratas, cupins e formigas é mais rápida do que o normal

Falta pouco mais de um mês para a chegada da estação mais quente do ano, ainda assim, o calor na região já dá sinais com temperaturas máximas perto dos 30 graus. Com isso, além dos cuidados de saúde inerentes à estação, como alimentação saudável, uso de protetor solar e hidratação constante, outra preocupação existe no dia a dia de boa parte da população: a proliferação de insetos.

Nessa época do ano, baratas, cupins e formigas invadem, com maior intensidade, as residências. Devido ao calor dos ambientes, a reprodução dos insetos é mais rápida do que o normal, segundo o professor de biologia da Univali, Ricardo Corbetta. Uma barata, por exemplo, pode colocar de 4 a 50 ovos dependendo da espécie. No verão, os filhotes nascem em cinco semanas.

“Há cinco mil espécies de baratas no mundo, mas vivendo com o homem há cerca de 5 apenas. Esses insetos gostam de ambientes sujos. Principalmente com gordura, restos de comida, de lixo e entulhos. Eles vivem em lugares em que podem se alimentar. E quando o ambiente é quente o metabolismo do animal faz com que a reprodução acelere”, explica.

Com a proliferação em massa dos insetos, aumenta a procura pelo serviço de dedetização. Responsável pelo setor administrativo da DDServ – empresa da área – Antonio Pereira diz que as baratas lideram a lista de pragas com maior incidência, seguidas pelas formigas e pelos cupins. No caso dos cupins, Pereira explica que no inverno eles se recolhem por causa do frio e no verão criam asas para procurar um parceiro e ampliar as famílias.

“As pessoas às vezes acham que o cupim não existe no inverno, mas não é nada disso. Ele está dentro dos móveis apenas se alimentando, quando chega o calor eles criam asas e começam as revoadas em busca de parceiros e de outras moradias. Se em uma casa acontece de aparecerem, do nada, vários desses insetos, significa que a infestação já existia. Os insetos estavam apenas escondidos nas outras estações”, afirma.
Contaminação

Assim como na DDServ, na Fênix Controle de Pragas, a procura pelos serviços de dedetização é mais intensa nessa época do ano. O técnico de controle de pragas e proprietário da empresa Fênix, Hildo David Fontana, diz que o principal problema relacionado às infestações é o risco à saúde do ser humano.

“A barata vem do esgoto e circula por vários lugares sujos. Com isso, ela acaba levando sujeira para as mesas, pias e armários e pode ser prejudicial às pessoas. A formiga também pode ser, mas em menor proporção, porque elas estão naquele ambiente de casa e não tem muita sujeira ou risco. Mas em hospitais, por exemplo, as formigas são as principais causadoras das infecções, já que circulam pelo lixo hospitalar e entram nos quartos dos pacientes”, esclarece Fontana.

Mesmo que Fontana afirme que as formigas não sejam tão prejudiciais quanto às baratas, o professor de biologia da Univali ressalta que tanto as baratas quanto as formigas podem carregar consigo bactérias, fungos e até mesmo alguns vermes. Inclusive, o “mito” de que as formigas são mais “sujas” do que as baratas se confirma, uma vez que as formigas comem, além de restos de comida, animais mortos.
Outras causas

O calor e a sujeira não são os únicos fatores responsáveis pelo aumento na proliferação dos insetos. A falta de predadores naturais também influencia. De acordo com o professor da Univali, o desmatamento causa a diminuição de aranhas, lagartixas e sapos, alguns dos “vilões dos insetos”.

“Estamos acabando com a natureza, e com isso os predadores vão se afastando. Raramente se vê esses animais em regiões urbanas, então os insetos tomam conta. Isso acaba acarretando em um desequilíbrio na fauna”, lamenta Corbetta.

Cuidados

Para prevenir ou extinguir os insetos há duas maneiras: limpeza constante nas residências e dedetização preventiva anual. É o que afirmam os especialistas e a coordenadora da Vigilância Sanitária de Brusque, Luci Herta Hilbert.

Segundo Luci, nunca houve reclamações junto à vigilância referente a baratas, cupins e formigas. Entretanto, ela aconselha a população a manter as residências e o ambiente de trabalho limpos e anualmente contratar uma empresa especializada para a dedetização.

Quanto à prevenção, o responsável pelo setor administrativo da DDServ enumera quatro pontos primordiais. O primeiro está relacionado aos acessos das residências. Pereira diz que os moradores devem manter armários, orifícios de paredes e ralos devidamente selados enquanto não são utilizados. O segundo, por sua vez, é o acumulo de água. Todos os ambientes devem permanecer secos pois os insetos precisam de água para sobreviver.

A alimentação é terceiro aspecto. O morador não deve deixar restos de alimentos sobre as pias, mesas e chão; também deve limpar resquícios de gordura e sempre deve selar as embalagens de comidas para impedir a entrada dos insetos. O quarto e último ponto é o abrigo. Armários gavetas e orifícios são as preferências dos insetos na hora de se instalar, portanto, esses locais devem permanecer limpos e selados. Se, ainda assim, os insetos aparecerem, Pereira é enfático:

“É necessário fazer uma dedetização completa se os quatro passos não adiantarem. E nós sabemos que mesmo em casas super limpas e organizadas, os insetos aparecem, por isso é importante dedetizar. E é fundamental que a população chame empresas registradas na Anvisa e também que entenda que os sprays aerossóis vendidos em mercados fazem mal à saúde se usados com frequência”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio