Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Ensino técnico de SC tem menos de um terço da meta de alunos matriculados

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Ensino técnico de SC tem menos de um terço da meta de alunos matriculados

Raul Sartori

Ensino técnico 1
Em 2014, no lançamento do Plano Nacional de Educação, o Brasil se comprometeu a ter pelo menos cinco milhões de matriculas no ensino técnico em 2024. E está longe disso, lamentavelmente. O último dado disponível, do ano passado, informa que o país ainda não atingiu sequer a metade das vagas. Há exceções louváveis, como a Paraíba, que superou a meta em 125%. SC beira o vexame: 31%. Mais vexaminoso ainda é saber que aqui houve diminuição do número de vagas e matriculas.

Ensino técnico 2
Espanta mais saber que o mercado sente falta desses profissionais. Conforme o Serviço Social da Indústria (Sesi), só esse setor da economia demandará, neste ano, 2,2 milhões de técnicos em áreas como logística e transporte, metalmecânica, pesquisas, segurança do trabalho, eletroeletrônica, tecnologia da informação e construção. Desse total, 77 mil são apenas de novas vagas.

Mais impostos
Seis governadores do Sul e Sudeste enfrentam resistências em suas bases nas Assembleias Legislativas para aprovar o anunciado aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para compensar perdas que eles dizem que terão com a reforma tributária. Os deputados estaduais temem possíveis desgastes provocados pela medida, considerada impopular. Resistência que não existe em SC diante da aparentemente inabalável decisão de Jorginho Mello de não elevar tributos. Até quando vai resistir?

Com Lula
Desde que assumiu o comando do Sebrae Nacional, o ex-deputado federal e ex-prefeito de Blumenau Décio Lima, foi recebido por Lula duas vezes. Mas o que dizer do seu chefe, o ministro de Micro e Pequenas Empresas, Márcio França, que desde a posse só esteve com o presidente uma única vez? Humilhante.

Respeito
Sempre prontos a bater impiedosamente no governo Lula quando atrasa algumas providencias de demandas urgentes de SC, a classe política catarinense não sabe agradar o Palácio do Planalto ou ser respeitosa. O que dizer da presença, sábado, aqui, do ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, que no seu périplo esteve junto a si apenas os deputados federais Ana Paula Lima e Pedro Uczai (PT), e Jorge Goetten (PL)?

Inflação
O veterano e antenado jornalista Aderbal Machado, que mora em Balneário Camboriú, fez um passeio pela orla, domingo, só para medir a febre de alguns preços nessa fase que ainda é de pré-temporada. O coco e churros agora estão com valores arredondados, a R$ 10 por unidade. Os alugueis de cadeira e guarda-sol estão em R$ 10 e R$ 40, respectivamente. Daqui uns dias tudo vai mudar.

Desperdício
Num pacote de projetos que o governador Jorginho Mello enviou para deliberação do Legislativo semana passada, está um programa de investimentos imobiliários que possibilita a venda de imóveis do Estado ou, ainda, permutá-los ou destiná-los para cotas em fundos de investimento. Outra opção é cedê-los ou autorizar o uso de alguns deles para associações e entidades educacionais, culturais ou de utilidade pública. Melhor assim. O que enfurece o pagador de impostos é vê-los abandonados à sua própria sorte.

Vereadores
De repente, como um furacão, veio do nada em Tubarão uma movimentação pelo aumento do número de vereadores, dos atuais 15 para 17. Os 15 de hoje concordam com a ideia. O curioso é que ninguém consultou a população (o eleitor, afinal), sobre o assunto. A percepção é que a reação não seria nada positiva.

Horário de comércio
A deputada federal Daniela Reinehr (PL-SC) é autoria de requerimento aprovado na Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados para realização de audiência pública, amanhã, para debater os efeitos da absurda portaria do governo – já mandada para as calendas, merecidamente – para retomar a necessidade de convenção coletiva de trabalho para a abertura do comércio em domingos e feriados.

Abelhas sem ferrão
Nossos ambientalistas-caviar não devem se opor a um projeto do deputado estadual Padre Pedro Baldissera (PT), que reconhece a meliponicultura como atividade interesse social em SC. Por isso é preciso alterar o Código Estadual do Meio Ambiente para que assim se permita a intervenção ou a supressão de vegetação nativa em área de preservação permanente, visando seu uso econômico-sustentável, que na legislação atual não é possível, por mais absurdo que pareça.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo