Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Governo de SC executa obras habitacionais em 40 municípios

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Governo de SC executa obras habitacionais em 40 municípios

Raul Sartori

Casas de graça
Sem fazer alarde, o governo estadual tem obras habitacionais em 40 municípios, no momento, com investimento de R$ 35,9 milhões. Detalhe importante: as casas, que custam até R$ 70 mil a unidade, são totalmente gratuitas para as famílias. Têm entre 45 e 50 m2 e contam com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. A seleção dos beneficiados é feita pelos próprios municípios com base em diversos critérios.

Sobe desce 1
Na última edição semanal, a revista “Veja” registra na coluneta “Sobedesce” a presença do governador Jorginho Mello. Que “desce”, na avaliação da publicação, por ser acusado de censurar obras literárias após a Secretaria da Educação ordenar a retirada de nove títulos das bibliotecas públicas, incluindo clássicos como “Laranja Mecânica”, de Anthony Burgess.

Sobe desce 2
A propósito, a operação recolheu 510 livros de escolas, parte deles guardados em penitenciárias, informou ontem o jornal carioca “O Globo”. O restante foi transferido às bibliotecas dos Centros de Educação Profissional (Cedups) e para os Centros de Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Sob desce 3
A explicação dada pelo governo estadual é que a determinação não foi do governador nem do secretário de Educação, mas iniciativa individual de um supervisor e de uma integradora regional de Educação de Florianópolis, no caso Waldemar Ronssem Júnior e Anelise dos Santos de Medeiros, respectivamente. Acrescenta que os 510 livros serão “readequados para faixas etárias próprias dos estudantes”, mas não explica por que foram parar num presídio.

Perseguição? Parece
Parece faltar serviço à Polícia Federal de São Paulo, que agora resolveu investigar o então presidente Jair Bolsonaro por, supostamente, importunar uma baleia jubarte, em São Sebastião, no litoral de lá, dois anos atras. O “assédio” teria ocorrido quando fazia manobras com jet-ski próximo ao animal. Na Polícia Federal de SC não consta haver qualquer investigação contra o ex-presidente po, também supostamente, ter importunado os baiacus que vivem na baía de São Francisco do Sul, no norte do Estado, onde passou uns dias em fevereiro e dezembro de 2021.

Pesadelo e morte
O responsável por este espaço já deixou público que sente-se, não raro, um extraterrestre. Acredita que milhões tem o mesmo sentimento com o que vem ocorrendo com a presença no Brasil da cantora Taylor Swift, cujos show tem sido um teste de sobrevivência, levando “fãs” a acampar por meses na entrada do estádio, desembolsar no mínimo R$ 500 para o ingresso, pagar R$ 8 por uma garrafinha de 500 ml de água e sobreviver diante de uma sensação térmica de 60 graus por causa de tapumes que impediam a circulação do ar e, assim, na visão gananciosa dos promotores, evitar que pessoas que não compraram o ingresso ouvissem o show do lado de fora. Crueldade pura. O que era sonho se transformou em pesadelo e até morte.

Eurico Miranda
Relator da CPI do Futebol no Senado, em 2015, quando era senador por SC, Geraldo Althoff integra o elenco, digamos assim, do elogiado documentário “A mão do Eurico”, que acaba de ser exibido na Globoplay. Geraldo comparece falando especificamente sobre os trabalhos da comissão, da qual foi relatou. A CPI chegou ao seu final, como poucas, com a descoberta de que cerca de R$ 20 milhões do Vasco da Gama tiveram como destino os cofres do famoso e corruptíssimo cartola Eurico Miranda, que comandava o clube, e um comparsa.

Educação ambiental
Com tantas intempéries atingindo diferentes região do Brasil, quase todas atribuídas ao aquecimento global, que tal as autoridades educacionais, a exemplo de ação pioneira no Pará, ensinar educação ambiental nas escolas? E que se ponha fim à obrigatoriedades, por leis, de impor conteúdos dispensáveis, como história da África, por exemplo.

Planalto
Zapeada à coluna de notável político catarinense, que pede anonimato, ainda: o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, mais cedo ou mais tarde será convencido a filiar-se a um partido político e começar a sonhar com sua candidatura à sucessão de Lula. Credibilidade é que não lhe falta, diz o político, que na sua visão é um dos poucos que sabe, à seu modo, elegante, sempre, enfrentar o presidente em seus estabanados comentários sobre economia.

Nazismo
Um alerta para essa gurizada inconsequente que usa redes sociais para ataques antissemitas, que resultou na prisão, sexta-feira, de sete líderes de grupos no Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Ceará: 32 mil grupos neonazistas estão sendo monitorados no momento. Em SC são centenas.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo